The Word Foundation

Os seres são nutridos pela comida, a comida é produzida pela chuva, a chuva vem do sacrifício e o sacrifício é realizado pela ação. Saiba que a ação vem do Espírito Supremo, que é um; portanto, o Espírito onipresente está sempre presente no sacrifício.

- Bhagavad Gita.

A

WORD

Vol 1 MARÇO, 1905. No. 6

Direitos autorais, 1905, de HW PERCIVAL.

COMIDA.

A comida não deve ser muito comum para ser objeto de investigação filosófica. Alguns passam a maior parte das vinte e quatro horas em trabalho de parto, para ganhar dinheiro suficiente para comprar a comida necessária para manter o corpo e a alma unidos. Outras circunstâncias mais favoráveis ​​passam tanto tempo planejando o que comerão, como será preparado e como isso agradará a eles e aos paladares de seus amigos. Depois de passar o tempo de vida alimentando seus corpos, todos encontram o mesmo destino, morrem, são deixados de lado. Trabalhador sujo e homem de cultura, trabalhador de loja de suor e mulher da moda, açougueiro e soldado, servo e mestre, padre e mendigo, todos devem morrer. Depois de alimentar seus próprios corpos com ervas e raízes simples, com alimentos saudáveis ​​e ricos em alimentos, seus próprios corpos, por sua vez, servem de alimento para os animais e animais nocivos da terra, os peixes do mar, os pássaros do ar, as chamas dos animais. o fogo.

A natureza é consciente em todos os seus reinos. Ela progride através de formas e corpos. Cada reino constrói corpos para resumir a evolução abaixo, refletir o reino acima e ter consciência disso. O universo inteiro é, portanto, composto de partes interdependentes. Cada parte tem uma dupla função: ser um princípio informador do que está abaixo e servir de alimento para o corpo que está acima dele.

O alimento é o alimento ou material necessário para a formação, função e continuidade de todo tipo de corpo, desde o mais baixo mineral até a mais alta inteligência. Esse alimento ou material está sempre circulando das forças elementares para formas concretas, daí para estruturas e corpos orgânicos, até que sejam resolvidos em corpos de inteligência e poder. Assim, o universo como um todo está continuamente se alimentando.

Através da comida, os seres recebem corpos e vêm ao mundo. Através da comida, eles vivem no mundo. Através da comida eles deixam o mundo. Ninguém pode escapar da lei de restauração e compensação pela qual a natureza mantém uma circulação contínua através de seus reinos, retornando a cada um o que lhe foi tirado e mantido em confiança.

Pelo uso adequado dos corpos alimentares são formados e continuam sua evolução cíclica de crescimento. Pelo uso inadequado dos alimentos, o corpo saudável ficará doente e terminará no ciclo reacionário da morte.

Fogo, ar, água e terra são os elementos, os elementos ocultos que se combinam e condensam na rocha sólida de concreto e mineral da terra. A terra é a comida do vegetal. A planta atinge suas raízes através da rocha e, pelo princípio da vida, ela a abre e seleciona a partir dos alimentos necessários para construir uma nova estrutura para si. A vida faz com que a planta se expanda, se desenvolva e cresça na forma mais expressiva de si mesma. Guiado pelo instinto e desejo, o animal toma como alimento a terra, os vegetais e outros animais. Da terra e da estrutura simples da planta, o animal constrói seu complexo corpo de órgãos. Animais, plantas, terra e elementos, todos servem como alimento para o homem, o Pensador.

A comida é de dois tipos. O alimento físico é da terra, plantas e animais. O alimento espiritual vem da fonte inteligente universal da qual o físico depende para sua existência.

O homem é o foco, mediador, entre o espiritual e o físico. Através do homem, é mantida uma circulação contínua entre o espiritual e o físico. Elementos, rochas, plantas, répteis, peixes, pássaros, bestas, homens, poderes e deuses, todos contribuem para o apoio um do outro.

À maneira de um homem lemniscado, mantém em circulação o alimento físico e espiritual. Através de seus pensamentos, o homem recebe alimento espiritual e o passa para o mundo físico. Em seu corpo, o homem recebe alimento físico, extrai dela a essência e, através de seu pensamento, ele pode transformá-lo e elevá-lo ao mundo espiritual.

A comida é um dos melhores professores do homem. A falta de comida ensina aos ignorantes e preguiçosos a primeira lição do trabalho. O alimento demonstra ao epicure e ao glutão que a sobre-alimentação resultará em dor e doença do corpo; e então ele aprende o autocontrole. A comida é uma essência oculta. Pode não parecer assim para os homens de nossos tempos, mas no futuro o homem verá e apreciará esse fato e descobrirá um alimento que transformará seu corpo em um de uma ordem superior. A razão pela qual ele deixa de fazê-lo agora é porque ele não controla seus apetites, não serve a seus semelhantes e não vê a divindade refletida em si mesmo.

A comida ensina ao homem sóbrio a lição dos ciclos e da justiça. Ele vê que pode tirar da natureza alguns de seus produtos, mas que ela exige e obriga em suas mudanças cíclicas o equivalente a eles. Quando a lei da justiça é cumprida, o homem se torna sábio e a elevação do inferior para as formas superiores o leva a entrar no mundo espiritual do qual ele se inspira.

O universo é comida. O universo inteiro se alimenta de si mesmo. O homem constrói em seu corpo o alimento de todos os reinos abaixo e extrai de cima seu alimento espiritual durante a meditação. Se a ordem da evolução deve continuar, ele deve, por sua vez, fornecer um corpo para a entidade superior a ele. Essa entidade tem suas raízes em seu próprio corpo animal e é a parte espiritual inteligente que reside no ser humano. É o seu Deus. A comida que o homem pode fornecer a seu deus é composta de pensamentos e ações nobres, aspirações e meditações de sua vida. Este é o alimento do qual o corpo divino da alma é formado. A alma, por sua vez, é o poder ou corpo espiritual através do qual o único princípio divino e inteligente pode operar.