The Word Foundation

O movimento é independente da forma, mas as formas não podem existir independentemente do movimento.

A

WORD

Vol 1 MAIO, 1905. No. 8

Direitos autorais, 1905, de HW PERCIVAL.

MOVIMENTO.

MOVIMENTO é a expressão da consciência.

O objetivo do movimento é elevar a substância à consciência.

O movimento faz com que a matéria seja consciente.

Sem movimento, não poderia haver mudança.

O movimento nunca é percebido pelos sentidos físicos.

Movimento é a lei que controla o movimento de todos os corpos.

O movimento de um corpo é o resultado objetivo do movimento.

Todos os movimentos têm sua origem no movimento eterno e sem causa.

A Deidade é revelada através do movimento, e o homem vive, se move e é mantido vivo na Deidade - que é o movimento - tanto física quanto espiritualmente. É o movimento que emociona o corpo físico, mantém toda a matéria em movimento e inspira cada átomo a realizar seu trabalho na execução do plano ideal de manifestação.

Há um movimento que leva os átomos a se moverem. Existe um movimento que os leva a se agrupar em forma de moléculas. Existe um movimento que inicia o germe da vida interior, decompõe a forma molecular e se expande e a acumula na estrutura da célula vegetal. Há um movimento que coleta as células, dá a elas outra direção e as transforma em tecidos e órgãos de animais. Há uma moção que analisa, identifica e individualiza a matéria. Há um movimento que reorganiza, sintetiza e harmoniza a matéria. Há uma moção que unifica e resolve toda a matéria em seu estado primordial - substância.

Através de sete movimentos, a história do universo, dos mundos e da humanidade é repetida várias vezes pela alma humana durante o ciclo de suas encarnações. Esses movimentos se manifestam: no despertar de seu período de descanso no mundo celestial da alma dos pais; nas mudanças dos estados da matéria ao entrar em contato com as ondas das emoções da humanidade e com os pais que devem fornecer seu corpo físico; em suas transmigrações através dos processos necessários para a construção de seu corpo físico; no nascimento do corpo físico neste mundo e na encarnação nele; nas esperanças, medos, amores, ódios, ambições, aspirações e na batalha com a matéria enquanto estiver no mundo físico e antes da morte do corpo físico; no abandono do corpo físico na morte e passagem pelo mundo astral; e no retorno a descansar nas vestes da alma dos pais - a menos que ela se libertasse dos movimentos cumprindo suas leis e colocando, a todo momento, total e completa confiança na consciência acima de todas as coisas.

Sete movimentos na substância-raiz básica homogênea causam o aparecimento e o desaparecimento de universos, mundos e homens. Através dos sete movimentos, toda manifestação tem seu começo e fim, desde as essências mais espirituais do arco descendente do ciclo até as formas materiais mais grosseiras, retornando no arco ascendente do seu ciclo às inteligências espirituais mais elevadas. Esses sete movimentos são: auto-movimento, movimento universal, movimento sintético, movimento centrífugo, movimento estático, movimento centrípeto, movimento analítico. Como esses movimentos operam no e através do homem, também o fazem, em uma escala maior, no e através do universo. Mas não podemos entender sua aplicação universal até primeiro percebermos e apreciarmos sua ação e relação com o complexo chamado homem.

Movimento próprio é a presença constante da consciência em toda a substância. É a causa abstrata, eterna, subjacente e subjetiva da manifestação. O auto-movimento é o movimento que se move e dá impulso aos outros movimentos. É o centro de todos os outros movimentos, mantém-os em equilíbrio e é a mais alta expressão da consciência através da matéria e da substância. Quanto ao homem, o centro do movimento próprio está no topo da cabeça. Seu campo de ação está acima e na metade superior do corpo.

Movimento Universal é o movimento através do qual o não manifestado entra em manifestação. É o movimento que traduz substância em matéria espiritual e matéria espiritual em substância. Quanto ao homem, seu centro está fora e acima do corpo, mas o movimento toca o topo da cabeça.

Movimento Sintético é o movimento arquetípico ou ideal pelo qual todas as coisas estão harmoniosamente relacionadas. Essa moção impressiona o design e direciona a matéria em suas concreções, e também organiza a matéria no processo de suas sublimações. O centro do movimento sintético não está no corpo, mas o movimento atua através do lado direito da parte superior da cabeça e na mão direita.

Movimento Centrífugo dirige todas as coisas do centro para a circunferência dentro da esfera de ação. Estimula e compele todo o material ao crescimento e expansão. O centro do movimento centrífugo é a palma da mão direita. O campo de sua ação no corpo do homem é através do lado direito da cabeça e tronco do corpo e parte do lado esquerdo, numa ligeira curva do topo da cabeça até o centro entre os quadris.

Movimento estático preserva a forma pela detenção temporária e pelo equilíbrio de movimentos centrífugos e centrípetos. Esse movimento mantém uma massa ou corpo composto de partículas. Como um raio de sol que flui para uma sala escura dá forma a uma infinidade de partículas invisíveis, mas que ganham visibilidade à medida que passam através dos limites do raio, o movimento estático se equilibra e permite tornar visível a interação entre centrífuga e centrípeta. movimentos de forma definida e organiza cada átomo de acordo com o design impresso pelo movimento sintético. Quanto ao homem, o centro do movimento estático é o centro do corpo físico ereto e seu campo de operação é através e ao redor de todo o corpo.

Movimento Centrípeto atrai todas as coisas de sua circunferência para seu centro dentro de sua esfera de ação. Contrairia, desdobraria e absorveria todas as coisas que entram em sua esfera, mas é contido pelo centrífugo e equilibrado pelos movimentos estáticos. O centro do movimento centrípeto é a palma da mão esquerda. O campo de sua ação no corpo é através do lado esquerdo da cabeça e tronco do corpo e parte do lado direito, em uma ligeira curva do topo da cabeça até o centro entre os quadris.

Movimento analítico penetra, analisa e permeia a matéria. Dá identidade à matéria e individualidade à forma. O centro do movimento analítico não está no corpo, mas o movimento atua através do lado esquerdo da parte superior da cabeça e na mão esquerda.

O movimento próprio faz com que o movimento universal transforme substância indiferenciada em matéria espiritual, e o movimento próprio causa movimento sintético para orientá-lo e organizá-lo de acordo com o plano universal, e é o movimento próprio que novamente torna centrífugo e todos os outros movimentos. por sua vez, desempenham suas funções separadas e especiais.

Cada um dos movimentos está apenas em sua ação, mas cada movimento deterá a alma em seu próprio mundo enquanto o Glamour prevalecer, e forjará novos elos na cadeia que liga a alma à roda do renascimento. O único movimento que libertará a alma da roda do renascimento é o auto-movimento, o divino. O divino, movimento próprio, é o caminho da libertação, o caminho da renúncia e a apoteose final -Consciência.