The Word Foundation

A ordem muda: acima era Luz, abaixo é Vida, que se constrói em várias formas sobre um centro.

O centro é vida e no centro é luz, e em, sobre e através de toda forma corre a vida.

- Leo.

A

WORD

Vol 1 AGOSTO 1905. No. 11

Direitos autorais, 1905, de HW PERCIVAL.

VIDA.

Os grandes princípios do mundo noumenal são: consciência, movimento, substância e respiração. Os grandes fatores ou processos através dos quais os princípios do mundo noumenal são expressos no mundo manifestado são: vida, forma, sexo e desejo. As realizações desses fatores ou processos através da manifestação no mundo fenomenal são: pensamento, individualidade, alma e vontade. Princípios, fatores e realizações são finalmente resolvidos e se tornam consciência. Os assuntos do mundo noumenal foram vistos brevemente. O primeiro fator no mundo fenomenal está diante de nós: o sujeito da vida. a consciência é para o fenomenal o que a consciência é para o mundo noumenal. A consciência é a idéia de toda realização possível; por sua presença, todas as coisas são guiadas através de estados e condições para a realização final.

A vida é o começo deste processo; o instinto e esforço iniciais; o progresso através da manifestação no mundo fenomenal. A vida é um processo de devir; é apenas o meio, não o fim. A vida no mundo fenomenal não é tudo; é apenas um dos movimentos - movimento centrífugo - pelo qual o universo fenomenal se transforma em formas quando é expelido de uma substância homogênea.

A vida é um oceano poderoso sobre o qual a Grande Respiração se move, fazendo evoluir a partir de suas profundezas insondáveis ​​e invisíveis, sistemas de universos e mundos. Estes são levados adiante na maré da vida invisível para a forma visível. Mas pouco tempo, a maré vira e tudo volta ao invisível. Assim, nas marés da vida invisível, os mundos são desenrolados e atraídos novamente. Existem muitas correntes do oceano da vida; nosso mundo com tudo nele vive em uma dessas correntes. O que sabemos da vida é apenas sua passagem pela forma visível, na mudança de suas marés, do invisível para o invisível.

A vida é matéria, mas muito mais refinada do que os elementos conhecidos que não podem ser classificados com a matéria do físico. A ciência é o mágico intelectual da civilização moderna; mas a ciência materialista morrerá em sua infância, se não crescer além dos estratos mais baixos do mundo fenomenal. O sonho do físico é provar que a vida é um resultado e não uma causa. Ele produziria vida onde a vida não existia; governar suas operações por certas leis; dotá-lo de inteligência; depois o dissipe, sem deixar vestígios de sua existência na forma, nem de expressar inteligência. Há quem acredite que a vida pode ser produzida onde não existia; que possa expressar inteligência; essa inteligência pode ser dissipada para sempre. Mas não se supõe que tais pessoas possam entender os processos da vida enquanto se recusam a acreditar ou a especular sobre sua existência à parte da forma. Algumas das manifestações da vida são apreciadas, mas aqueles que afirmam ser capazes de produzir vida a partir de matéria "inerte" ainda estão tão distantes da solução do problema quanto estavam no começo. Produzir vida a partir de matéria inerte resultaria na descoberta de que não há matéria "inerte", porque nenhuma vida pode ser produzida onde a vida não existe. As formas de manifestação da vida podem ser infinitas, mas a vida está presente em todas as formas. Se a vida não fosse co-incidente com a matéria, a matéria não poderia mudar de forma.

O biólogo não pode descobrir a origem da vida, porque sua busca começa e termina enquanto a vida passa pelo mundo da forma. Ele se recusa a procurar a vida antes que ela apareça, ou a seguir suas especulações depois que ela sai de sua forma. A vida é aquele agente misterioso que se manifesta através da forma, mas a vida é o fator a partir do qual desenvolvemos a forma: daí o movimento das marés da vida na dissolução e reconstrução das formas. A vida é o princípio do crescimento e expansão em todas as coisas.

Nossa terra é como uma esponja oca e esférica em uma corrente do oceano da vida. Vivemos na pele desta esponja. Fomos levados a esta esfera por uma onda na maré que entra no oceano da vida e depois de um tempo, no fluxo, deixamos uma onda e passamos adiante, mas ainda estamos no oceano da vida. Como o universo e seus mundos vivem cada um em seu oceano da vida, assim, quando a mente através da respiração entra no corpo no nascimento, cada um passa para o seu próprio oceano individual da vida.

Na construção de um corpo, a vida se apressa e se constrói de acordo com o projeto preparado, e órgãos dos sentidos são desenvolvidos. A mente que habita esse corpo está imersa na vida sensual. A corrente pura da vida que passa pelo corpo dos sentidos é colorida pelos desejos dos sentidos. A princípio, a mente responde ao prazer da sensação da vida. O prazer é uma fase da sensação da vida, a outra fase é a dor. A mente se emociona com o prazer ao experimentar a sensação de vida no corpo. O esforço para aumentar a sensação de prazer resulta na experiência da dor quando, exaustos, os órgãos dos sentidos não conseguem mais responder à corrente ordenada da vida. No mundo manifestado, a plenitude da vida está em pensamento, e o pensamento muda a corrente da vida.

Vivemos neste oceano da vida, mas nosso progresso é realmente lento, porque só conhecemos a vida porque ela estimula os sentidos. A mente desfruta enquanto os sentidos se desdobram e preenchem pela passagem da vida; mas quando, no curso do desenvolvimento da mente, os sentidos atingem o limite de seu desenvolvimento físico, são arrastados pelas marés da vida, a menos que a mente se liberte de seus ancoradouros físicos para desdobrar os sentidos internos. Eles o levarão do seu fluxo turvo para as correntes mais altas da vida. Então a mente não é varrida pelas correntes cruzadas do esquecimento, nem arremessada nas rochas da ilusão e atordoada, mas é levada no alto de suas vestes ao fluxo luminoso da vida, onde aprende e mantém seu equilíbrio e pode orientar sua vida. curso com segurança por todas as correntes e fases da vida.

A vida não pode estagnar. Essa vida de sensação dura pouco tempo. Alcançando através dos sentidos, a mente se apegaria a todas as formas desta vida; mas se os sentidos se desdobram e amadurecem na vida deste mundo, eles logo se dissipam. As formas nas quais a mente se apossaria desaparecem e desaparecem enquanto são agarradas.

A mente busca experiência na vida em que entra, para que possa aprender a sondar e navegar em suas profundezas. Quando a mente é capaz de procurar as profundezas e manter seu verdadeiro curso contra todas as correntes opostas, o objeto da vida está sendo realizado. A mente é estimulada e revigorada por cada uma das correntes opostas à medida que as supera. É então capaz de usar todas as correntes da vida para o bem, em vez de se desviar de seu curso e ser vencido por elas.

No momento, o que especulamos ou sabemos é apenas a vida da forma que está sempre mudando. O que devemos tentar conhecer e viver é a vida eterna, cuja grande realização é a consciência.