The Word Foundation

A

WORD

FEVEREIRO, 1910.


Direitos autorais, 1910, de HW PERCIVAL.

MOMENTOS COM AMIGOS.

Não há uma crença de que os atlantes poderiam voar? Se sim, onde esta crença é declarada?

Platão foi talvez o primeiro a familiarizar o mundo ocidental com o continente perdido da Atlântida. Outros que o seguiram abordaram o assunto e comentaram o pouco da história que ele deu como proveniente de seu ancestral, Solon, que alegou ter transmitido a ele pelos antigos sacerdotes do antigo Egito. Muitas lendas vieram de várias formas, da ilha ou continente da Atlântida. Bacon escreveu sobre isso, mas o livro mais notável é o de Inácio Donnelly: “Atlântida; o mundo de Antediluvian. ”Não acreditamos que qualquer um dos que escreveu sobre a Atlântida tenha mencionado algo sobre a navegação aérea ou a capacidade dos atlantes de voar.

Até Madame Blavatsky publicar sua “Doutrina Secreta” na 1888, nada foi definitivamente dito sobre os atlantes e o vôo. Na "Doutrina Secreta", Madame Blavatsky afirma que, com os atlantes, a navegação aérea era um fato e ela conta um pouco da história sobre a causa da queda da Atlântida e como a navegação no ar teve um papel importante no outono. Madame Blavatsky não reivindica a honra desta descoberta para si mesma. Ela diz na “Doutrina Secreta” que aquilo que ela declara lhe foi dado da história real da Atlântida, tirado dos registros daqueles sábios que se tornaram imortais e que mantêm e transmitem a história da ascensão e queda de continentes e as mudanças geológicas e outras da terra, em conexão com o desenvolvimento racial da humanidade e a ascensão e queda de suas civilizações ao longo do tempo. O escritor da pergunta e outros a quem a "Doutrina Secreta" pode não estar acessível estarão interessados ​​na seguinte citação da obra:

“É da Quarta Raça que os primeiros arianos obtiveram conhecimento do 'conjunto de coisas maravilhosas', o Sabha e o Mayasabha, mencionados no Mahabharata, o presente de Mayasura aos Pandavas. Foi com eles que eles aprenderam aeronáutica, Viwan, Vidya, o 'conhecimento de voar em veículos aéreos' e, portanto, suas grandes artes de Meteorografia e Meteorologia. É deles, novamente, que os arianos herdaram sua mais valiosa ciência das virtudes ocultas das pedras preciosas e de outras pedras, da química, ou melhor, da alquimia, da mineralogia, geologia, física e astronomia. ”(3d Ed. Vol. II. , p. 444.)

“Aqui está um fragmento da história anterior do Comentário:

"'. . . E o 'Grande Rei do Rosto Deslumbrante', o chefe de todos os rostos amarelos, ficou triste ao ver os pecados dos rostos negros.

Ele enviou seus veículos aéreos (Vimanas) a todos os seus irmãos-chefes (chefes de outras nações e tribos) com homens piedosos, dizendo: Prepare-se. Levantem-se, homens da Boa Lei, e atravessem a terra enquanto ainda estão secos.

Os senhores da tempestade estão se aproximando. Seus carros estão se aproximando da terra. Uma noite e dois dias somente os Senhores do Rosto Escuro (os Feiticeiros) viverão nesta terra paciente. Ela está condenada e eles têm que descer com ela. Os senhores inferiores dos fogos (os gnomos e os elementais do fogo) estão preparando sua magia Agnyastra (armas de fogo trabalhadas pela magia). Mas os Senhores do Olho Negro ("Olho do Mal") são mais fortes que eles (os Elementais) e são os escravos dos poderosos. Eles são versados ​​em Astra (Vidya, o mais alto conhecimento mágico). Venha e use o seu (ou seja, seus poderes mágicos, a fim de neutralizar os dos Feiticeiros). Que todo Senhor do Rosto Deslumbrante (um Adepto da Magia Branca) faça com que o Vimana de todo Senhor do Rosto Escuro entre em suas mãos (ou possessão), para que nenhum (dos Feiticeiros), por seus meios, escape das águas , evite a vara das Quatro (Deidades Cármicas) e salve seus ímpios (seguidores ou pessoas). ' ”. (Ibidem, p. 445.)

“(Mas) as nações já haviam atravessado as terras secas. Eles estavam além da marca d'água. Seus reis os alcançaram em suas vimanas e os levaram às terras de fogo e metal (leste e norte). "

“'As águas surgiram e cobriram os vales de uma extremidade à outra da Terra. Terras altas permaneceram, o fundo da Terra (terras dos antípodas) permaneceu seco. Habitavam aqueles que escapavam; os homens das caras amarelas e dos olhos diretos (as pessoas francas e sinceras).

“'Quando os Senhores das Faces das Trevas acordaram e se lembraram de seus viwanos para escapar das águas que subiam, eles os descobriram.' ”. (ibid., p. 446.)

Os indivíduos que estão tentando resolver o problema da navegação aérea, os atlantes reencarnados?

Com toda a probabilidade, muitas das mentes que trabalharam através dos corpos atlantes estão novamente aparecendo na civilização que está sendo construída, tendo essa civilização seu centro nos Estados Unidos, com seus ramos e ramificações estendendo-se a todos os quadrantes do globo. Com toda a probabilidade, os inventores desta época são aquelas mentes que elaboraram ou foram instruídas nas ciências da Atlântida e que estão causando reaparecer invenções semelhantes em nossa época com as quais elas estão familiarizadas na Atlântida. Entre as invenções é a de voar. A possibilidade de o homem voar, ou a navegação do ar, foi ridicularizada e ridicularizada até tempos muito recentes, e até as mentes mais "científicas" zombavam da sugestão ou falavam dela como um ignis fatuus ou uma superstição infantil. A invenção do avião e do balão dirigível demonstrou que a navegação do ar é possível, e o que foi feito indica que em um momento não muito distante o homem será capaz de dirigir seu caminho no ar com a mesma eficácia que ele agora dirige. através da água. A mente do homem está superando rapidamente as dificuldades da navegação aérea. Mas ele ainda não descobriu os meios, nem é capaz de entrar em contato com os meios pelos quais o vôo fácil é alcançado. O homem pode voar tão facilmente quanto os pássaros agora voam, mas somente quando ele aprendeu a entrar em contato e usar a força que os pássaros usam em seu vôo. Os pássaros não dependem apenas da força física para voar. Eles colocam em operação uma força que não é física e com a qual entram em contato com seus corpos e que os move. Os pássaros não dependem de suas asas para o poder de voar. Eles usam suas asas e cauda mais como um equilíbrio ou alavanca pela qual o corpo é equilibrado e direcionado através das correntes do ar. O homem pode fazer com o corpo o que os pássaros agora fazem com o deles, ou o homem pode construir máquinas com as quais ele pode navegar no ar. Ele navegará no ar, com mais sucesso apenas quando tiver aprendido a ajustar e relacionar a força que está em si mesmo com as máquinas voadoras que ele poderá construir. se o homem pode fazer isso nesta era, é bastante provável e altamente provável que o homem tenha feito o mesmo nos tempos passados. É bastante provável que os Atlantes tivessem conhecimento do poder que causa o vôo e fossem capazes de fazer com que esse poder agisse através de seus corpos, permitindo-lhes voar e ajustando o mesmo poder às máquinas aéreas, regulando assim o voo. dessas máquinas de acordo com sua vontade. A mente reencarna de uma era para outra, de uma raça física para outra. A mente do homem não é educada e aperfeiçoada em uma raça ou civilização. É necessário que a mente passe por muitas ou todas as raças e civilizações em seu desenvolvimento gradual. É lógico supor que as mentes que estão envolvidas com a questão ou prática da navegação aérea são as mesmas que se preocuparam com o problema na Atlântida.

Se os atlantes resolveram o problema da navegação aérea, e se aqueles que agora estão preocupados com o mesmo problema eram atlantes, então por que esses indivíduos não reencarnaram desde o naufrágio da Atlântida e antes do tempo presente, e se reencarnaram antes do idade atual, por que eles não foram capazes de dominar o ar ou voar antes do tempo presente?

O fato de os atlantes resolverem o problema da navegação aérea ainda não está comprovado, nem está provado que a Atlântida existia. Pelo menos não é provado por nenhuma daquelas provas exigidas pela ciência moderna. Muitas evidências foram dadas de que a Atlântida existia, como as mencionadas ou as fornecidas pelo mar Sargassa. Mas se a humanidade atual pode resolver o problema da navegação aérea, não é irracional supor que a humanidade na Atlântida também poderia ter resolvido isso. Se a reencarnação é um fato, é bastante provável, de fato, é quase certo que se aqueles que vivem hoje e construam máquinas com as quais navegam no ar estão familiarizados com o problema aéreo da Atlântida, e que reencarnaram muitas vezes e possivelmente em muitos países desde a submersão da Atlântida. No entanto, o que era possível em um período em uma grande civilização pode não ser possível em todos os outros tempos em todas as outras civilizações. Não se segue que, porque uma mente individual havia resolvido o problema aéreo na Atlântida, ele deveria poder pilotar ou construir máquinas voadoras em outros corpos em outros países e em momentos não propícios.

A navegação aérea é uma ciência, no entanto, é apenas uma das ciências. Depende e não pode prescindir de outras ciências. Até que algumas das ciências tivessem sido desenvolvidas, o lado físico da navegação aérea não poderia ser alcançado. Um conhecimento de ciências como mecânica, vapor, química, eletricidade é necessário para a navegação bem-sucedida do ar. Qualquer que seja o conhecimento fundamental que a mente possa ter em si mesma, quanto ao seu conhecimento, poder e capacidade de voar, ainda até que os dispositivos físicos sejam inventados e até que a mente se familiarize com as leis que governam os corpos físicos, nenhum navio ou máquina aérea poderia ser construído ou usado com sucesso. Somente nos tempos modernos essas ciências foram rejuvenescidas ou redescobertas. Somente quando as informações que eles fornecem foram ou são aplicadas ao vôo no ar, é razoável supor que a navegação aérea seja possível. É bem provável que os antigos tivessem conhecimento das ciências, mas não nos deixaram nenhum registro necessário para provar que eles tinham um conhecimento prático de todas as ciências juntas, como agora está sendo gradualmente desenvolvido.

Uma mente individual reencarnando em qualquer um dos países da Europa ou Ásia nos últimos cinco mil anos não poderia ter encontrado as condições necessárias para construir aeronaves e voar nelas. Se não por outra razão, porque os preconceitos religiosos do país o teriam impedido de usar o conhecimento que ele pode ter aplicado na Atlântida. Por exemplo: se todos os livros de texto da ciência moderna fossem removidos do mundo e alguns de nossos grandes inventores e cientistas morressem e reencarnassem em alguma parte do mundo que não estivesse em contato com a civilização moderna, o maior desses cientistas e inventores seria incapaz naquela vida de fornecer as condições que as civilizações que haviam deixado haviam proporcionado. O máximo que podiam fazer, mesmo sabendo que haviam vivido e sabido e feito o que agora se sabe, não lhes permitiria fazer o mesmo sob condições alteradas. O máximo que eles poderiam fazer seria agir como pioneiros. Seriam obrigados a educar as pessoas entre as quais reencarnaram até uma apreciação das possibilidades futuras, familiarizar as pessoas com certos fatos e educá-las a compreender os rudimentos das ciências. Uma vida não lhes daria o tempo necessário para construir as condições e educar as pessoas até o desejo de vantagens modernas. Somente à medida que outras mentes avançadas encarnassem entre o povo, e mentes avançadas continuassem a encarnar e "descobrir" certas leis e melhorar as indústrias e os costumes do país, seria possível ter a base de trabalho para uma civilização. Levou séculos para que a humanidade fosse educada e desenvolvida em sua condição atual, depois que afundou na escuridão após a queda das civilizações anteriores. À medida que a humanidade surge das trevas, da ignorância e dos preconceitos, e à medida que as mentes encarnadas se tornam mais livres, então o que existia nas civilizações passadas pode novamente, novamente, ser introduzido e aperfeiçoado. Evidentemente, estamos chegando ao tempo de reaparecer o que tem sido considerado como maravilhas, mas que gradualmente estão se tornando necessidades e partes de nossa vida. Embora os indivíduos que viviam em corpos atlantes e que navegavam pelo ar devessem ter reencarnado muitas vezes desde o naufrágio da Atlântida, e embora a estação e o tempo os impedissem de usar o conhecimento do vôo aéreo, está na hora em que esses indivíduos podem chamam ao presente seu conhecimento do passado, porque as condições estão prontas e eles serão capazes de dominar o ar e voar no futuro como se fossem donos do ar na Atlântida esquecida.

HW Percival