DEFINIÇÕES E EXPLICAÇÕES


Termos e frases do Thinking and Destiny



Acidente, An: é geralmente dito que é um acontecimento inesperado ou evento sem causa aparente. No entanto, um acidente é o único segmento visível em uma cadeia ou círculo de causas não observadas ou precedentes, resultando inevitavelmente nessa ocorrência chamada acidente. Os outros segmentos do círculo são os pensamentos e atos relacionados ao acidente.

Aia: é o nome dado a uma unidade que progrediu sucessivamente em todos os graus de consciência como sua função em uma Universidade de Direito, em um corpo perfeito, assexuado e imortal; que se formou na natureza, e está no lado inteligente como um ponto ou linha que o distingue do lado da natureza.

Alcoolismo: é uma doença psíquica do agente do desejo-e-sentimento, com a qual o corpo físico é infectado pelo consumo de bebidas alcoólicas. O álcool é excelente e digno de confiança, enquanto mantido como servo, ou usado como meio para a elaboração de preparações farmacêuticas. Mas o álcool, como espírito, é implacável e implacável quando se torna mestre. É apenas uma questão de tempo, nesta ou em alguma vida futura, quando todo o fazedor terá que enfrentar o demônio e conquistar ou ser conquistado por ele. O licor é inofensivo, se alguém não bebe; é apenas um meio. Mas quando se bebe t, o espírito do qual o álcool é o meio entra em contato com o desejo no sangue e com o eeling nos nervos e persegue o desejo e o sentimento na crença de que é um amigo, e essa crença cresce e cresce. É o espírito de convivência e boa comunhão através de todos os estágios de embriaguez ao longo dos quais ele conduz sua vítima. E quando o fazedor é por demais depravado demais para assumir a forma humana, o demônio leva-o à sua prisão nos recessos interiores da Terra, onde é fixado na inércia consciente. A inércia consciente é mais irritante e assustadora do que os fogos mais ferozes de qualquer teologia ou outro inferno concebível. O álcool é o espírito preservador da natureza; mas mata a coisa que preserva. O espírito de embriaguez teme a Luz Consciente no humano e esforça-se para incapacitar o humano. O único caminho seguro para ser o mestre e não o escravo do espírito do álcool é: não prová-lo. Tenha uma atitude mental firme e definida e não o deixe assumir sob qualquer pretexto ou forma. Então um será o mestre.

Raiva: é o desejo queimando no sangue e agindo em ressentimento com o que é ou deveria ser um erro para si mesmo ou para outro.

Aparência: é unidades da natureza agrupadas em massa ou forma e é visível; está sujeito a mudança ou desaparecimento, quando o que o mantém unido muda ou é retirado.

Apetite: é o desejo de gratificar o paladar e o olfato com o material, em resposta ao impulso das entidades da natureza de manter a matéria em circulação.

Tipo: é habilidade na expressão de sentimento e desejo.

Astral: é matéria estrelada.

Corpo Astral: como termo usado neste livro é descrever o sólido radiante do corpo físico quádruplo. Os outros três são sólidos sólidos, fluidos sólidos e sólidos. O sólido-arejado e fluido-sólido são apenas massas, eles não são
desenvolvido em forma. O corpo astral é aquele que molda a matéria do corpo em crescimento de acordo com a forma da respiração até o nascimento. Posteriormente, o corpo físico depende do corpo astral para manter sua estrutura em forma
de acordo com a forma da respiração. Depois que a forma da respiração deixa o corpo na morte, o corpo astral permanece próximo da estrutura física. Então o corpo astral depende da estrutura para manutenção, e é disperso como o
estrutura decai.

Atmosfera: é a massa de matéria difusa que irradia e envolve qualquer objeto ou coisa.

Atmosfera Humana Física: é a massa esférica de unidades radiantes, arejadas, fluidas e sólidas que emana de e continua circulando em quatro correntes constantes de unidades no e através do corpo pela respiração, o lado ativo da forma da respiração.

Atmosfera do Humano, Psíquico: é o lado ativo do agente, a parte psíquica do Eu Triúno, o lado passivo de uma porção da qual existe nos rins e nas supra-renais e nos nervos voluntários e no sangue do corpo humano. Ele surge, libra, puxa e empurra o sangue e os nervos do corpo em resposta ao desejo e sentimento do agente que reexiste no corpo.

Atmosfera do Humano, Mental: é essa parte da atmosfera mental do Eu Triúno que é através da atmosfera psíquica e por meio da qual o sentimento-mente e o desejo-mente podem pensar nos pontos neutros entre o influxo ininterrupto e o fluxo da respiração.

Atmosfera, do próprio ego trino, noético: é, por assim dizer, o reservatório, do qual a Luz Consciente é transmitida pelas atmosferas mentais e psíquicas para o executor-no-corpo através da respiração.

Atmosfera da Terra: é constituído pelas quatro zonas esféricas ou massas de unidades radiantes, arejadas, fluidas e sólidas que mantêm uma circulação constante da e através da crosta terrestre compactada e esférica, e do interior até as estrelas mais distantes.

Respiração: é a vida do sangue, o penetrador e o construtor do tecido, o preservador e o destruidor, pelo qual todas as operações do corpo continuam a existir ou a desaparecer, até que, pensando, ele é feito para regenerar e restaurar o corpo para vida eterna.

Forma de respiração: é uma unidade da natureza que é a forma viva individual (alma) de cada corpo humano. Sua respiração constrói e renova e dá vida ao tecido de acordo com o padrão fornecido pela forma, e sua forma mantém na forma a estrutura, seu corpo, durante sua presença no corpo. A morte é o resultado de sua separação do corpo.

Célula, A: é uma organização composta de unidades transitórias de matéria das correntes radiantes, arejadas, fluidas e sólidas da matéria, organizadas em estrutura viva pela ação relacionada e recíproca de quatro unidades compositoras: a respiração-link,
unidades de composição de link de vida, de ligação de formulário e de ligação celular que constituem essa célula, o que não é visível, não o corpo de unidades transitórias compostas que podem ser visíveis ou vistas sob um microscópio. As quatro unidades compositoras estão ligadas
juntos e permanecem nessa célula; as unidades transitórias são como fluxos fluidos dos quais os compositores continuam a capturar e compor unidades transitórias dentro e como o corpo daquela célula durante a continuação da organização maior da qual essa célula é parte integrante. As quatro unidades de composição de uma célula em um corpo humano são indestrutíveis; quando eles não são supridos com unidades transitórias, o corpo celular cessará, será decomposto e desaparecerá, mas os compositores da célula novamente construirão um corpo em algum momento futuro.

Chance: é uma palavra usada para se desculpar por não compreender, ou explicar atos, objetos e eventos que ocorrem e que não são facilmente explicados, como “jogos de azar” ou “acontecimentos do acaso”. Mas não existe tal coisa como acaso, no sentido de que um acontecimento poderia ter acontecido de qualquer outra forma, independente da lei e da ordem. Cada acaso, como o lançamento de uma moeda, a virada de uma carta, o lançamento de um dado, acontece de acordo com certas leis e em ordem, sejam elas de acordo com as leis da física ou com as leis da escravidão e da trapaça. Se o que é chamado de acaso fosse independente da lei, não haveria leis confiáveis ​​da natureza. Então não haveria certeza das estações, do dia e da noite. Estas são leis que nós mais ou menos compreendemos, da mesma forma que os acontecimentos do "acaso", os quais não temos dificuldade suficiente para entender.

Personagem: é o grau de honestidade e veracidade de nossos sentimentos e desejos, expressos por seu pensamento individual, palavra e ação. Honestidade e veracidade no pensamento e no ato são os fundamentos da
bom caráter, as marcas distintivas de um caráter forte e atencioso e destemido. O caráter é inato, herdado das próprias vidas anteriores, como a predisposição para pensar e agir; é continuado ou mudado como se escolhe.

Comunhão: é o pensamento de si mesmo em relação à retidão e ao receber a Luz, de acordo com o sistema de pensamento.

Concepção Divina "Imaculada": não é a impregnação de um óvulo em uma mulher, a ser seguida pela gestação e nascimento de outro corpo físico. Um nascimento sexual não pode resultar de uma concepção divina. Uma concepção verdadeiramente “imaculada” é para a reconstrução do corpo físico da morte imperfeito em um corpo físico perfeito e sem sexo da vida eterna. Quando os doze germes lunares precedentes foram fundidos com o décimo terceiro germe lunar, em seu retorno à cabeça, ele é encontrado pelo germe solar e recebe um raio de Luz da Inteligência. Isso é uma auto-impregnação, uma concepção divina. A reconstrução do corpo perfeito segue.

Consciência: é a soma do conhecimento sobre o que não deve ser feito em relação a qualquer sujeito moral. É o padrão para o pensamento correto, o sentimento correto e a ação correta; é a voz silenciosa da retidão no coração que proíbe qualquer pensamento ou ato que varie do que sabe estar certo. O "não" ou "não" é a voz do conhecimento do doador sobre o que ele deve evitar ou não fazer
ou não dar consentimento para ser feito em qualquer situação.

Consciente: é, com conhecimento; o grau em que aquilo que é consciente é consciente em relação ao conhecimento.

Consciência: é a Presença em todas as coisas - pela qual cada coisa é consciente no grau em que é consciente as o que ou of o que é ou faz. Como uma palavra, é o adjetivo “consciente” desenvolvido em um substantivo por
o sufixo “ness”. É uma palavra única na linguagem; não tem sinônimos, e seu significado se estende além da compreensão humana. A consciência é sem começo e sem fim; é indivisível, sem partes, qualidades, estados, atributos ou limitações. No entanto, tudo, do menor ao maior, dentro e além do tempo e do espaço, depende dele, do ser e do fazer. Sua presença em todas as unidades da natureza e além da natureza permite que todas as coisas e seres sejam conscientes as o que ou of o que eles são, e devem fazer, estar conscientes e conscientes de todas as outras coisas e seres, e progredir em continuar níveis mais elevados de ser conscientes em direção à única Realidade última - Consciência.

Credulidade: é a inocente prontidão do fazedor-do-corpo para acreditar que as coisas são como parecem e aceitar como verdade o que é dito ou escrito.

Cultura: é o alto desenvolvimento da aprendizagem, habilidade e caráter de um povo ou da civilização como um todo.

Morte: é a partida do eu consciente no corpo de sua residência carnal, o ressalto ou separação do fino fio elástico prateado que conecta a forma da respiração com o corpo. A indenização é causada pelo desejo ou consentimento de ter seu corpo morto. Com a quebra do fio, a ressuscitação é impossível.

Definição: é aquela composição de palavras relacionadas que expressa o significado de um assunto ou coisa e, pensando em qual conhecimento está disponível.

Descendência do Homem: foi contada de forma variada e figurativa em escrituras antigas, como na história bíblica de Adão e Eva no Jardim do Éden; sua tentação, sua queda, seu pecado original e expulsão do Éden. este
é mostrado como os quatro estágios na partida do fazedor-no-corpo do Reino da Permanência. A descida do Reino da Permanência para este mundo de nascimento e morte, foi por variação, divisão, modificação e degeneração. A variação começou quando o agente do desejo-e-sentimento estendeu uma parte de seu corpo perfeito e viu a sensação na parte estendida. A divisão era o doer vendo seu desejo no corpo masculino e seu sentimento no corpo feminino e pensando em si mesmo como dois em vez de um, e sua partida da permanência. A modificação era a descida ou extensão do interior e mais fina para o estado exterior e inferior da matéria e mudança na estrutura do corpo. A degeneração estava vindo para fora da crosta terrestre, o desenvolvimento dos órgãos sexuais e a geração de corpos sexuais.

Desejo: é o poder consciente dentro de si; provoca mudanças em si e provoca mudanças em outras coisas. O desejo é o lado ativo do fazedor-no-corpo, o lado passivo do qual está sentindo; mas o desejo não pode agir sem o seu outro lado inseparável, o sentimento. O desejo é indivisível, mas parece estar dividido; deve ser distinguido como: o desejo de conhecimento e o desejo de sexo. É, com sentimento, a causa da produção e reprodução de todas as coisas conhecidas ou sentidas pelo humano. Como o desejo sexual permanece obscuro, mas se manifesta através de seus quatro ramos: o desejo por comida, o desejo por posses, o desejo por um nome, e o desejo por poder, e suas inumeráveis ​​ramificações, como fome, amor, ódio. , afeto, crueldade, contenda, ganância, ambição, aventura, descoberta e realização. O desejo de conhecimento não será alterado; é constante como o desejo de autoconhecimento.

Desejo por um nome, (fama): é um aglomerado de impressões de atributos indeterminados para uma personalidade, que são tão vazios e evanescentes quanto uma bolha.

Desejo de poder: é a ilusão criada que é a prole e o adversário do desejo de autoconhecimento (o desejo de sexo).

Desejo pelo auto-conhecimento: é o desejo determinado e inflexível do agente de estar em relação consciente ou união com o conhecedor do seu Eu Triúno.

Desejo pelo sexo: é o egoísmo baseado na ignorância a respeito de si mesmo; o desejo expresso pelo sexo do corpo em que se encontra e que procura unir-se com o seu lado reprimido e não expresso, pela união com um corpo do sexo oposto.

Desespero: é a entrega ao medo; a resignação sem reservas para deixar acontecer o que acontecer.

Destino: é necessidade; aquilo que deve ser ou acontecer, como resultado do que foi pensado e dito ou feito.

Destino físico: inclui tudo sobre a hereditariedade e constituição do corpo físico humano; os sentidos, sexo, forma e características; a saúde, posição na vida, família e relações humanas; o período de vida e
maneira de morte. O corpo e tudo o que concerne ao corpo é o orçamento de crédito e débito que veio de suas vidas passadas como resultado daquilo que alguém pensou e fez naquelas vidas e com o qual tem que lidar na vida presente. Não se pode escapar do que o corpo é e representa. É preciso aceitar isso e continuar a agir como no passado, ou pode-se mudar o passado para o que se pensa e quer ser, fazer e ter.

Destino Psíquico: é tudo o que tem a ver com sentimento e desejo como o eu consciente no corpo; é o resultado daquilo que no passado se desejou, pensou e fez, e daquilo que no futuro resultará de
o que a pessoa deseja, pensa e faz e que afetará o sentimento e o desejo de alguém.

Destino mental: é determinado como o quê, o quê e o que o desejo e o sentimento do fazedor-do-corpo pensam. Três mentes - o corpo-mente, o desejo-mente e o sentimento-mente - são colocadas a serviço do agente, pelo pensador de seu Eu Triúno. O pensamento que o agente faz com essas três mentes é o seu destino mental. Seu destino mental está em sua atmosfera mental e inclui seu caráter mental, atitudes mentais, realizações intelectuais e outros dons mentais.

Destino Noético: é a quantidade ou grau de autoconhecimento que se tem de si mesmo como sentimento e desejo, o que está disponível, é aquela parte da atmosfera noética que está em nossa atmosfera psíquica. Este é o resultado de
o pensamento e o uso da força criativa e geradora de alguém; manifesta-se como um conhecimento da humanidade e das relações humanas, por um lado, e por outro através do destino físico, como problemas, aflições, doenças ou
enfermidades. O autoconhecimento é demonstrado pelo autocontrole, pelo controle dos sentimentos e desejos da pessoa. O destino noético pode ser visto em tempos de crise, quando se sabe exatamente o que deve ser feito por si mesmo e pelos outros. Pode também vir como intuição para esclarecimento sobre um assunto.

Diabo, o: é o próprio desejo maligno do chefe. Ele tenta, instiga e leva a pessoa à ação errada na vida física, e isso a atormenta durante uma parte de seus estados após a morte.

dimensões: são de matéria, não de espaço; o espaço não tem dimensões, o espaço não é dimensional. Dimensões são de unidades; as unidades são constituintes indivisíveis da matéria de massa; de modo que a matéria é uma maquilagem, composta de ou como unidades indivisíveis relacionadas e distintas umas das outras por seus tipos particulares de matéria, como dimensões. A matéria é de quatro dimensões: on-ness, ou matéria de superfície; in-ness, ou assunto de ângulo; throughness, ou line matter; e presença, ou ponto de matéria. A numeração é do aparente e familiar ao remoto.

A primeira dimensão das unidades, onça ou unidades de superfície, não tem profundidade, espessura ou solidez perceptíveis; depende e particularmente precisa da segunda e terceira dimensões para torná-lo visível, tangível, sólido.

A segunda dimensão das unidades é a matéria em ness ou ângulo; depende da terceira dimensão para compactar superfícies em superfícies como massa.

A terceira dimensão das unidades é throughness ou line matter; depende da quarta dimensão para transportar, conduzir, transmitir, transportar, importar e exportar matéria da matéria não-dimensional não-imanifestada para interior e fixar superfícies em superfícies, e assim estabilizar superfícies como matéria sólida superficial.

A quarta dimensão das unidades é a presença ou matéria pontual, uma sucessão de pontos como a linha básica de pontos da matéria, ao longo da qual ou através da qual a próxima dimensão da matéria linear é construída e desenvolvida. Assim, será visto que a matéria não-dimensional não-manifesta se manifesta como ou por meio de um ponto, e como uma sucessão de pontos como uma linha de unidades pontuais, por meio das quais a próxima dimensão de unidades é desenvolvida e por meio da qual está a matéria ou a matéria do ângulo, que compacta as superfícies nas superfícies até que a matéria sólida tangível visível seja mostrada como os atos, objetos e eventos deste mundo físico objetivo.

Doença: Uma doença resulta da ação cumulativa de um pensamento à medida que continua a passar pela parte ou corpo a ser afetado, e eventualmente a exteriorização de tal pensamento é a doença.

Desonestidade: é o pensamento ou ação contra o que é conhecido como certo, e o pensar e fazer daquilo que se sabe estar errado. Aquele que pensa e faz pode eventualmente acreditar que o que é certo é errado; e que o que está errado está certo.

Doer: Essa parte consciente e inseparável do Eu Triúno que periodicamente re-existe no corpo do homem ou corpo da mulher, e que geralmente se identifica como o corpo e pelo nome do corpo. É de doze porções, seis das quais são seu lado ativo como desejo e seis são seu lado passivo como sentimento. As seis porções ativas do desejo re-existem sucessivamente nos corpos do homem e as seis porções passivas do sentimento re-existem sucessivamente nos corpos das mulheres. Mas o desejo
e o sentimento nunca é separado; o desejo no corpo do homem fez com que o corpo fosse masculino e dominasse o lado do sentimento; e sentir-se no corpo da mulher fez com que seu corpo fosse feminino e dominasse seu lado do desejo.

Dúvida: é uma condição da escuridão mental como resultado de um pensamento claro o suficiente para saber o que fazer e o que não fazer em uma situação.

Sonhos são do objetivo e do subjetivo. O sonho objetivo é o estado de vigília ou estado de estar desperto; no entanto, é o sonho acordado. O sonho subjetivo é o sonho adormecido. A diferença é que na vigília
sonhar todos os objetos ou sons que são vistos ou ouvidos e que parecem tão reais são as exteriorizações dos pensamentos do indivíduo ou do outro sobre o pano de fundo do mundo objetivo; e que as coisas que vemos ou ouvimos no sonho adormecido são as reflexões sobre o pano de fundo do mundo subjetivo das projeções do mundo objetivo. Enquanto estamos sonhando no sono, os reflexos são tão reais para nós quanto as projeções no mundo desperto.
agora. Mas, é claro, quando estamos acordados, não conseguimos nos lembrar de quão real era o sonho de dormir, porque, do mundo desperto, o mundo dos sonhos parece sombrio e irreal. No entanto, tudo o que vemos, ouvimos ou fazemos em sonhos enquanto dormimos são os reflexos mais ou menos distorcidos das coisas que nos acontecem e das coisas em que pensamos enquanto estamos no estado de vigília. O sonho adormecido pode ser comparado a um espelho que reflete as coisas que estão diante dele. Ao meditar sobre os acontecimentos do sonho adormecido, pode-se interpretar muito sobre si mesmo, seus pensamentos e seus movimentos, que ele não percebeu antes. A vida dos sonhos é outro mundo, vasto e variado. Os sonhos não foram, mas devem ser classificados, pelo menos em tipos e variedades. Os estados após a morte estão relacionados à vida terrena, assim como o sonho adormecido ao estado de vigília.

Dever: é o que se deve a si mesmo ou aos outros, que deve ser pago, voluntária ou involuntariamente, no desempenho que o dever exige. Deveres ligam o fazedor-no-corpo a repetidas vidas na terra, até que o executor se liberte
desempenho de todos os deveres, de bom grado e de bom grado, sem esperança de louvor ou medo de culpa, e estando desapegado dos resultados bem feitos.

"Morador": é um termo usado para significar um desejo vicioso de uma vida anterior do agente no atual corpo humano, que habita a atmosfera psíquica e tenta identificar o corpo e influenciar o agente a atos de violência, ou praticar práticas prejudiciais à saúde. fazedor e corpo. O fazedor é responsável por seus desejos, como morador ou como manto de vícios; seus desejos não podem ser destruídos; eles devem eventualmente ser mudados pelo pensamento e pela vontade.

Morrendo: é o processo repentino ou prolongado da forma respiratória de reunir sua forma fina das extremidades para o coração e depois sair pela boca com o último suspiro da respiração, geralmente causando um gorgolejo ou chocalho na garganta. Na morte, o agente deixa o corpo com a respiração.

Facilidade: é o resultado da confiança do doador no destino e em si mesmo; um certo equilíbrio em ação, independentemente de riqueza ou pobreza, posição na vida ou família ou amigos.

Ego: é o sentimento da identidade do "eu" do humano, devido à relação do sentimento com a identidade do eu de seu Eu Triúno. O ego geralmente inclui a personalidade do corpo consigo mesmo, mas o ego é apenas o sentindo-me de identidade. Se o
o sentimento era a identidade, o sentimento no corpo se conheceria como o "eu" permanente e imortal que persiste através e além de todo o tempo em continuidade ininterrupta, enquanto o ego humano não conhece mais sobre si mesmo do que aquele
é "um sentimento".

Elemento, um: é um dos quatro tipos fundamentais de unidades da natureza nas quais a natureza como matéria é classificada e da qual todos os corpos ou fenômenos são compostos, de modo que cada elemento pode ser distinguido pelo seu tipo de cada um dos outros três elementos, e assim cada tipo pode ser conhecido por seu caráter e função, seja combinando e atuando como forças da natureza ou na composição de qualquer corpo.

Elemental, An: é uma unidade da natureza que se manifesta a partir do elemento fogo, do ar, da água ou da terra individualmente; ou como uma unidade individual de um elemento em uma massa de outras unidades da natureza e dominando essa massa de unidades.

Elementais, Inferiores: são dos quatro elementos das unidades fogo, ar, água e terra, aqui chamadas unidades causais, portais, forma e estrutura. São as causas, mudanças, mantenedores e aparências de todas as coisas na natureza que
Venha à existência, que mudança, que permanecem por algum tempo, e que irá dissolver e desaparecer, para ser recriado em outras aparências.

Elementais, Superior: são seres dos elementos fogo, ar, água e terra, dos quais são criados pelas Inteligências das esferas, ou pelos Eus Trinos completos, que constituem o Governo do mundo. Deles mesmos
esses seres não sabem nada e não podem fazer nada. Eles não são elementais da natureza individual como unidades da natureza, em processo de desenvolvimento. Eles são criados a partir do lado não manifestado dos elementos, pensando e respondendo perfeitamente ao pensamento dos Eus trinos que os dirigem naquilo que devem fazer. Eles são executores da lei, contra os quais nenhum deus da natureza ou outras forças podem prevalecer. Nas religiões ou tradições eles podem ser mencionados como arcanjos, anjos ou mensageiros. Eles agem por ordem direta do Governo do mundo, sem instrumentalidade humana, embora um ou mais possam parecer dar instrução ao humano, ou provocar mudanças nos assuntos dos homens.

Emoção: é o despertar e a expressão do desejo por palavras ou atos, em resposta a sensações de dor ou prazer pelo sentimento.

Inveja: é o sentimento de má vontade ou de amargura relutante em relação a uma pessoa que é ou que tem o que deseja ou é ter.

Igualdade no ser humano: é que cada pessoa responsável tem o direito de pensar, ser, querer, fazer e ter, o que ele é capaz de ser, querer, fazer e ter, sem força, pressão ou restrição, na medida em que que ele não tente
para impedir que outro tenha os mesmos direitos.

Eterno, o: é aquilo que não é afetado pelo tempo, o começo e o infinito, dentro e além do tempo e dos sentidos, não dependentes, limitados ou mensuráveis ​​pelo tempo e os sentidos como passado, presente ou futuro; aquilo em que as coisas são conhecidas como são e que não podem parecer ser como não são.

Experiência: é a impressão de um ato, objeto ou evento produzido através dos sentidos sobre o sentimento no corpo, e a reação como a resposta do sentimento como dor ou prazer, alegria ou tristeza, ou qualquer outro sentimento ou emoção. A experiência é a essência da exteriorização para o fazedor e é ensinar que o praticante pode extrair aprendizado da experiência.

Exteriorização, An: é o ato, objeto ou evento que foi a impressão física em um pensamento antes de ser exteriorizado como um ato, objeto ou evento no plano físico, como um destino físico.

Fatos: são as realidades dos atos, objetos ou eventos objetivos ou subjetivos no estado ou no plano em que são vivenciados ou observados, evidentes e experimentados pelos sentidos, ou considerados e julgados pela razão. Os fatos são de quatro tipos: fatos físicos, fatos psíquicos, fatos mentais e fatos noéticos.

Fé: é a imaginação do fazedor que causa uma forte impressão na forma da respiração por causa de confiança e confiança sem dúvida. A fé vem do fazedor.

Falsidade: é uma afirmação como fato do que se acredita ser falso, ou a negação do que se acredita ser verdade.

Fama, (um nome): é o conjunto mutável de impressões de atributos indeterminados para uma personalidade, que são evanescentes como bolhas.

Medo: é a sensação de presságio ou perigo iminente em relação a problemas mentais, emocionais ou físicos.

Sentindo-se: é o do eu consciente no corpo que sente; que sente o corpo, mas não se identifica e se distingue como sentimento, do corpo e das sensações que sente; é o lado passivo do fazedor-no-corpo, o lado ativo do qual é desejo.

Sentimento, Isolamento de: é a sua liberdade do controle pelo corpo-mente e a realização de si mesmo como felicidade consciente.

Comida: é de natureza material composto de inúmeras combinações de compostos de fogo, ar, água e unidades de terra, para a construção dos quatro sistemas e a manutenção do corpo.

Formato: é a ideia, tipo, padrão ou design que orienta e molda e estabelece limites para a vida como crescimento; e forma mantém e modas estrutura em visibilidade como aparência.

Liberdade: é o estado ou condição do desejo e sentimento do agente quando ele se desprende da natureza e permanece desapegado. Liberdade não significa que alguém possa dizer ou fazer o que quiser, onde quer que esteja. Liberdade é: ser e querer e fazer e ter sem apego a qualquer objeto ou coisa dos quatro sentidos; e, continuar a ser, a querer, a fazer e a ter, sem estar apegado, pensando, ao que se é ou deseja, se faz ou se tem. Isso significa que você não está apegado em pensamento a nenhum objeto ou coisa da natureza, e que você não se ligará enquanto pensa. Apego significa sujeição.

Função: é o curso de ação pretendido para uma pessoa ou coisa, e que é realizado por escolha ou por necessidade.

Jogos de azar: é uma obsessão de um pelo espírito de jogo, ou pelo desejo emocionante e crônico de ganhar dinheiro ou algo de valor pela “sorte”, por “apostar”, por jogos de “chance”, em vez de ganhá-lo pelo trabalho honesto.

Genius, A: é aquele que mostra originalidade e habilidade que o distinguem dos outros nos campos de seu empreendimento. Seus dons são inerentes. Eles não foram adquiridos pelo estudo na vida atual. Eles foram adquiridos por muito pensamento e esforço em muitas de suas vidas passadas e são trazidos com ele como resultado desse passado. As características distintivas do gênio são a originalidade em relação a idéias, método e a maneira direta de expressar seu gênio. Ele não depende do ensino de nenhuma escola; ele cria novos métodos e usa qualquer uma de suas três mentes para expressar seu sentimento e desejo de acordo com os sentidos. Ele está em contato com a soma de suas memórias de seu passado no campo de seu gênio.

Germe, o lunar: é produzido pelo sistema gerador e é necessário para a procriação de um corpo humano, para ser a residência de um agente re-existente. Chama-se lunar porque sua viagem pelo corpo é semelhante às fases da lua crescente e minguante e tem relação com a lua. Começa a partir do corpo pituitário e continua seu caminho descendente ao longo dos nervos do esôfago e do trato digestivo; depois, se não for perdido, sobe ao longo da espinha até a cabeça. Em seu caminho descendente, reúne a Luz que foi enviada à natureza, e que é devolvida pela natureza em alimentos levados para o sistema digestivo, e coleta Luz do sangue que foi recuperado pelo autocontrole.

Germe, o Solar: é uma porção do agente que, na puberdade, está no corpo pituitário e tem alguma luz clara. Durante seis meses desce, como o sol, no caminho do sul, no lado direito da medula espinhal; depois gira na primeira vértebra lombar e sobe no lado esquerdo em seu curso setentrional por seis meses até atingir o corpo pineal. Em sua jornada ao sul e ao norte, patrulha a medula espinhal, o caminho da vida eterna. O germe lunar é fortalecido cada vez que passa pelo germe solar.

Glamour: é um estado em que alguém está sendo fascinado por um objeto ou coisa por um feitiço, que os sentidos lançam em seu sentimento e desejo, e que o mantém cativo, e assim o impede de ver através do glamour, e de entender isso. coisa como é de fato.

Melancolia: é um estado psíquico, para os sentimentos e desejos insatisfeitos. Nele pode-se criar uma atmosfera de tristeza que atrairá pensamentos de morbidez e desconforto, o que pode levar a atos de dano a si mesmo e
outras. A cura para a tristeza é pensamento autodeterminado e ação correta.

Deus, A: é um ser pensado, criado pelos pensamentos dos seres humanos como o representante da grandeza daquilo que eles sentem ou temem; como o que qualquer um gostaria ou gostaria de ser, querer e fazer.

Governo, auto-: O eu, a si mesmo, é a soma dos sentimentos e desejos do realizador consciente que está dentro do corpo humano e que é o operador do corpo. O governo é autoridade, administração e método pelo qual um corpo ou estado é governado. Autogoverno significa que os sentimentos e desejos de uma pessoa que são ou podem ser inclinados, através de preferências, preconceitos ou paixões para perturbar o corpo, serão contidos e guiados e governados pelos melhores sentimentos e desejos que pensam e agem com justiça e razão, como os padrões de autoridade de dentro, em vez de serem controlados pelos gostos e desgostos em relação aos objetos dos sentidos, que são as autoridades de fora do corpo.

Graça: é bondade amorosa em favor dos outros e facilidade de pensamento e sentimento expressos em relação consciente à forma e à ação.

Grandeza: está no grau de independência de uma pessoa com responsabilidade e conhecimento em sua relação e em lidar com os outros.

Ganância: é o desejo insaciável de obter, ter e manter o que for desejado.

Terreno Comum: é usado aqui para significar um lugar ou corpo no qual dois ou mais se encontram para interesses mútuos. A terra é o ponto de encontro para os executores em corpos humanos agirem juntos por seus interesses comuns. O corpo humano é o terreno comum para a ação entre o fazedor e as unidades dos elementos da natureza que passam por ele. Assim também a superfície da terra é o solo comum no qual os pensamentos de todas as pessoas na terra são exteriorizados como as plantas e animais que crescem e habitam a terra, e que são as exteriorizações em formas de desejos e sentimentos de seres humanos.

Hábito: é a expressão por palavra ou ato de uma impressão na forma da respiração pelo pensamento. Repetição de sons estranhos ou atos, muitas vezes provoca desconforto do indivíduo e do observador, que é susceptível de se tornar cada vez mais pronunciada, a menos que a causa seja removida. Isso pode ser feito não continuando o pensamento que causa o hábito, ou pensando positivamente: “pare” e “não repita” - seja qual for a palavra ou ato. O pensamento positivo e a atitude mental contra o hábito apagam a impressão na forma da respiração e, assim, impedem sua recorrência.

Salão do Julgamento: é um estado após a morte em que o fazedor se encontra. O que parece ser um salão de luz é realmente a esfera da Luz Consciente. O fazedor está atônito e alarmado e escaparia, em qualquer lugar, se pudesse; mas
Eu não posso. É consciente da forma que, na Terra, acredita ser ela mesma, embora não esteja nessa forma; a forma é sua forma de respiração sem o corpo físico. Nesta ou na forma da respiração, a Luz Consciente, a Verdade, faz a
realizador consciente de tudo o que tinha pensado, e dos atos que fez enquanto em seu corpo na terra. O fazedor está consciente deles como eles são, como a Luz Consciente, a Verdade, mostra que eles são, e o próprio autor os julga, e seus
julgamento faz com que seja responsável por eles como deveres em vidas futuras na terra.

Felicidade: é o resultado daquilo que se pensa e faz de acordo com a justiça e a razão, e o estado de desejo-e-sentimento quando eles estão em união equilibrada e têm
Encontrei o amor.

Cura por imposição de mãos: Para beneficiar o paciente, o curador deve entender que ele é apenas um instrumento disposto a ser usado pela natureza com o propósito de restabelecer o fluxo ordeiro da vida que foi obstruído.
ou interferiu no corpo do paciente. Isso o curador pode fazer colocando as palmas das mãos direita e esquerda na frente e atrás da cabeça, e depois para os outros três cérebros em potencial, no tórax, no abdômen e no
pélvis. Ao fazê-lo, o próprio corpo do curador é o instrumento através do qual as forças elétricas e magnéticas fluem e ajustam a maquinaria do paciente para sua operação ordenada por natureza. O curador deve permanecer em
boa vontade passiva, sem pensar em pagamento ou ganho.

Cura Mental: é a tentativa de curar males físicos por meios mentais. Existem muitas escolas que tentam ensinar e praticar a cura de doenças através do esforço mental, como a negação de que existe doença, ou afirmando saúde
no lugar da doença, ou pela oração, ou pela repetição de palavras ou frases, ou por qualquer outro esforço mental. Pensamentos e emoções afetam o corpo, pela esperança, alegria, alegria, tristeza, problemas, medo. A cura de uma doença real pode ser
afetada pelo equilíbrio do pensamento de que a doença é a exteriorização. Ao remover a causa, a doença desaparece. A negação de uma doença é um faz de conta. Se não houvesse doença, não haveria negação disso. Onde há saúde, nada se ganha afirmando o que já é.

Audição: é a unidade de ar, atuando como o embaixador do elemento ar da natureza em um corpo humano. A audição é o canal através do qual o elemento ar da natureza e o sistema respiratório no corpo se comunicam entre si. A audição é a unidade da natureza que atravessa e relaciona e vitaliza os órgãos do sistema respiratório e funciona como uma escuta através da relação correta de seus órgãos.

Céu: é o estado e período de felicidade, não limitado pelo tempo terreno dos sentidos, e que parece não ter começo. É uma composição de todos os pensamentos e ideais da vida na Terra, onde nenhum pensamento de sofrimento ou
a infelicidade pode entrar, porque essas memórias foram removidas da forma da respiração durante o período purgatorial. O céu realmente começa quando o praticante está pronto e assume sua forma de respiração. Isso não parece um começo; é como se sempre tivesse sido. O céu termina quando o fazedor passou e esgotou os bons pensamentos e boas ações que tinha e fazia enquanto estava na terra. Então os sentidos da visão e da audição e do paladar e olfato são soltos da forma da respiração e entram nos elementos de que eles eram a expressão no corpo; a porção do fazedor retorna a si mesma, onde está até sua vez para sua próxima re-existência na terra.

Inferno: é uma condição individual ou um estado de sofrimento, de tormento, não de comunidade. O sofrimento ou tormento é por partes dos sentimentos e desejos que foram separados e descartados pelo fazedor em sua passagem pela metempsicose. O sofrimento é porque os sentimentos e desejos não têm meios pelos quais possam ser aliviados, ou obter o que eles sofrem, anseiam e desejam. Esse é o seu tormento - inferno. Enquanto em um corpo físico na terra, os sentimentos e desejos bons e maus tiveram seus períodos de alegria e tristeza que se misturaram durante toda a vida na terra. Mas durante a metempsicose, o processo purgatorial separa o mal do bom; os bons continuam a desfrutar de sua felicidade pura no “céu”, e o mal permanece naquilo que então é tormento do sofrimento, onde os sentimentos e desejos individuais podem ser e são impressionados, de modo que quando são novamente reunidos, eles podem, se escolherem, evitem o mal e lucrem com o bem. O céu e o inferno são para experimentar, mas não para aprender. A Terra é o lugar para aprender com a experiência, porque a terra é o lugar para pensar e aprender. Nos estados após a morte os pensamentos e ações são como em um sonho vivido de novo, mas não há raciocínio ou pensamento novo.

Hereditariedade: é geralmente entendido que significa que as qualidades físicas e mentais, fatores e características de seus ancestrais são transmitidos e herdados por esse ser humano. Claro, isso deve ser verdade até certo ponto por causa da relação entre sangue e família. Mas a verdade mais importante não é dada lugar. Isto é, que o sentimento e o desejo de um agente imortal se instala em um corpo humano após seu nascimento e traz consigo sua própria mentalidade e caráter. A linhagem, a reprodução, o meio ambiente e as associações são importantes, mas, de acordo com sua própria qualidade e força, o fazedor se distingue deles. A forma da respiração do fazedor causa a concepção; a forma fornece as unidades compositoras e a respiração constrói em sua própria forma o material fornecido pela mãe, e após o nascimento a forma da respiração continua a construir e manter sua própria forma
através de todos os estágios de crescimento e idade. O fazedor em cada corpo humano está além do tempo. Sua forma de respiração tem sua história, que antecede toda a história conhecida.

Honestidade: é o desejo de pensar e ver as coisas como a Luz Consciente no pensamento mostra essas coisas como elas realmente são e, então, lidar com essas coisas como a Luz Consciente mostra que elas devem ser tratadas.

Esperança: é a luz potencial inerente ao fazedor em todas as suas andanças pelo deserto do mundo; conduz ou incita em bom ou mau de acordo com a disposição do fazedor; é sempre incerto a respeito dos objetos dos sentidos, mas é certo quando a razão governa.

Ser humano, A: é uma composição de unidades dos quatro elementos da natureza compostos e organizados como células e órgãos em quatro sistemas representados pelos quatro sentidos da visão, audição, paladar e olfato, e automaticamente coordenados e operados pela forma da respiração, o gerente geral do corpo do homem ou corpo da mulher; e, em que uma parte do faz entra e reexiste, e torna o animal humano.

Seres Humanos, As Quatro Classes de: Pensando as pessoas se dividiram em quatro classes. A classe particular em que cada um é, ele se colocou em seu pensamento; ele permanecerá nela enquanto ele pensar como ele; ele sairá dele e se colocará em qualquer outra das quatro classes quando fizer o pensamento que o colocará na classe em que ele pertencerá. As quatro classes são: os trabalhadores, os comerciantes, os pensadores, os
conhecedores. O trabalhador pensa em satisfazer os desejos de seu corpo, os apetites e confortos de seu corpo e o entretenimento ou prazeres dos sentidos de seu corpo. O comerciante pensa em satisfazer seu desejo de ganhar, comprar ou vender ou trocar por lucro, obter posses, ter riqueza. O pensador pensa em satisfazer seu desejo de pensar, idealizar, descobrir, nas profissões ou artes ou ciências, e se destacar em aprendizado e realizações. O conhecedor pensa em satisfazer o desejo de conhecer as causas das coisas: saber quem e o quê e onde e quando e como e porquê, e transmitir aos outros o que ele próprio conhece.

Humanidade: é a origem e a relação comuns de todos os fazedores incorpóreos e imortais nos corpos humanos, e é o sentimento simpático nos seres humanos dessa relação.

Hipnose, auto-: é intencional colocar-se no estado de sono profundo, hipnotizando-se e controlando-se sozinho. O propósito do auto-hipnotismo deve ser o autocontrole. Na auto-hipnose, o agente atua como hipnotizador e também como sujeito. Ele considera o que ele gostaria de fazer que ele não é capaz de fazer. Então, agindo como o hipnotizador, ele claramente se instrui a emitir esses comandos para si mesmo quando está no sono hipnótico. Então, por sugestão, ele se coloca para dormir dizendo a si mesmo que vai dormir e, finalmente, que está dormindo. No sono hipnótico, ele se encarrega de fazer as coisas no tempo e no lugar. Quando ele assim se ordenou, ele retorna ao estado de vigília. Acordado, ele faz o que é pedido. Nesta prática, não se deve em nenhum sentido iludir a si mesmo, senão ele ficará confuso e falhará no autocontrole.

Hipnotismo ou Hipnose: é um estado artificial de sono produzido sobre um sujeito que sofre para ser hipnotizado. O sujeito é ou se torna negativo para o hipnotizador, que deve ser positivo. O sujeito se rende a sua
sentimento e desejo para o sentimento e desejo do hipnotizador e, ao fazê-lo, rende o controle de sua forma de respiração e o uso de seus quatro sentidos. O hipnotizador hipnotiza o sujeito usando qualquer ou toda a sua própria força eletromagnética através dos olhos ou da voz e das mãos de seu sujeito e repetidamente dizendo que ele vai dormir e que ele está dormindo. Submetendo-se à sugestão de sono, o sujeito é colocado para dormir. Tendo se submetido, seu
forma da respiração e seus quatro sentidos ao controle do hipnotizador, o sujeito está em condições de obedecer às ordens e fazer qualquer coisa ordenada pelo hipnotizador sem saber o que ele realmente está fazendo - exceto que ele não pode ser cometido a cometer um crime ou executar um ato imoral, a menos que ele, em seu estado de vigília, o fizesse ou agisse. Um hipnotizador assume uma grande responsabilidade quando hipnotiza alguém. O sujeito deve sofrer por longos períodos para se permitir ser controlado por outro. Cada um deve praticar o autocontrole até que ele seja autocontrolado. Então ele não controlará o outro nem permitirá que outro o controle.

Hipnotista, A: é aquele que tem vontade, imaginação e autoconfiança e que é bem-sucedido em hipnotizar seus sujeitos e produzir os fenômenos do hipnotismo na medida em que os exercita com compreensão.

"Eu" como identidade, o falso: é o sentimento da presença da identidade real do eu do conhecedor. O eu é a auto-consciência da mesma identidade do conhecedor, imutável e sem começo ou fim no Eterno.
Pensar com o corpo-mente e sentir a presença de sua identidade real, ilude o agente na crença de que ele é um e o mesmo com o corpo e os sentidos.

ideal: é a concepção do que é melhor para alguém pensar, ser, fazer ou ter.

Identidade, um: é o sentimento de identidade no corpo, o próprio sentimento como sendo o mesmo agora, como o que era no passado, e o mesmo sentimento de estar no futuro. O sentimento de identidade é necessário e certo no realizador através do corpo, por causa de sua inseparabilidade da identidade do conhecedor do próprio Eu Triúno.

I ness: é a identidade incorpórea, imortal e continuamente imutável do Ser Triúno no Eterno; não incorporada, mas cuja presença permite que o sentimento no corpo humano pense, sinta e fale de si mesmo como “eu” e seja consciente da identidade imutável em toda a vida em constante mudança de seu corpo físico.

Ignorância: é a escuridão mental, o estado em que o fazedor do corpo está, sem conhecimento de si mesmo e de sua correção e razão. As emoções e paixões de seus sentimentos e desejos eclipsaram seu pensador e conhecedor.
Sem a Luz Consciente deles está nas trevas. Não consegue distinguir-se dos sentidos e do corpo em que se encontra.

Ilusão: O erro de fantasia ou aparência para a realidade, como uma miragem para ser um lugar ou cena que ela representa, ou um posto distante para ser um homem; qualquer coisa que engane os sentidos e cause um erro de julgamento.

Imaginação: é o estado em que o pensamento do sentimento e desejo dá forma à matéria.

Imaginação, Nature-: é o jogo espontâneo e descontrolado de impressões sensoriais presentes com memórias; a combinação ou fusão de imagens feitas na forma da respiração pelos sentidos com memórias de impressões semelhantes e cuja combinação representa as realidades do plano físico. Essas impressões vigorosas compelem e podem impedir o raciocínio.

Incubus: é uma forma masculina invisível que busca obsessar ou ter relação sexual com uma mulher durante o sono. Incubos são de dois tipos e existem variedades de cada tipo. O mais comum é o íncubo sexual, o outro é o íncubo que tenta obcecar a mulher, como no que é chamado de pesadelo, cujo sonho horrível pode ser em grande parte devido à indigestão ou a algum distúrbio fisiológico. O tipo de incubus dependerá dos hábitos de pensamento e modo de ação do adormecido durante sua vida desperta. A forma de um íncubo, se fosse visualizada, variaria de anjo ou deus, a diabo ou aranha ou javali.

Instinto no Animal: é a força motriz do humano que está naquele animal. A luz do humano, ligada ao desejo, é aquela que guia ou conduz o animal em suas ações, de acordo com os quatro sentidos da natureza.

Inteligência: é aquilo pelo qual todas as Inteligências estão relacionadas e que distingue e relaciona e estabelece relações de todos os seres com os outros que estão conscientes de serem conscientes; e pelo qual eles, como e em seus diferentes graus de consciência, impressionam, distinguem e relacionam todas as unidades ou massas de unidades em sua relação umas com as outras.

Inteligência, An: é da ordem mais elevada de unidades no Universo, relacionando o Ser Triúno do homem com a Inteligência Suprema através de sua Luz autoconsciente, com a qual dota o homem e assim o capacita a pensar.

Inteligência, Faculdades de um: Há sete: as faculdades de luz e de eu sou que governam a esfera de fogo; as faculdades de tempo e motivo que governam a esfera do ar; a imagem e as faculdades das trevas na esfera da água; e a faculdade de foco na esfera da terra. Cada faculdade tem sua função, poder e propósito particulares e está inseparavelmente inter-relacionada com os outros. A faculdade da luz envia luz aos mundos por meio do seu Eu Triúno; A Hora
a faculdade é aquela que causa a regulação e mudanças nas unidades da natureza em suas relações umas com as outras. A faculdade da imagem impressiona a ideia de forma na matéria. O foco da faculdade centra outras faculdades no assunto ao qual é
dirigido. A faculdade sombria resiste ou dá força às outras faculdades. A faculdade motora dá propósito e direção ao pensamento. A faculdade de eu sou o verdadeiro Eu da Inteligência. O foco da faculdade é o único que entra em contato com o corpo através do agente no corpo.

Inteligência, o Supremo: é o limite e o grau final em que uma unidade inteligente pode avançar ao ser consciente como uma unidade. A Inteligência Suprema representa e compreende todas as outras Inteligências nas esferas. Não é o governante de outras Inteligências, porque as Inteligências conhecem toda a lei; eles são lei e cada Inteligência governa a si mesma e pensa e age de acordo com a lei universal. Mas a Inteligência Suprema tem a seu cargo e supervisão
todas as esferas e mundos e conhece os deuses e os seres através da natureza universal.

Intuição: é o ensino, instrução de dentro; é o conhecimento direto que vem através da razão para o fazedor. Não está preocupado com o comércio ou com os assuntos dos sentidos, mas com questões morais ou filosóficas, e é raro. Se o fazedor pudesse abrir a comunicação com seu conhecedor, poderia ter conhecimento sobre qualquer assunto.

Istence: é o sentimento e o desejo do fazedor, consciente da própria realidade em si, como ela mesma; não como existência, não em existência, mas em sua solidão resultante de sua separação intencional de si mesma das ilusões da natureza.

Ciúmes: é o medo ressentido e preconceituoso de não obter ou ter seus direitos nas afeições ou interesses de outro ou de outros.

Alegria: é a expressão do sentimento e desejo de alguém em quem há confiança.

Justiça:é a ação do conhecimento em relação ao assunto em consideração, e em julgamento pronunciado e prescrito como lei.

Carma: é o resultado das ações e reações da mente e do desejo.

Conhecedor, o: é aquele do Eu Triúno que tem e é conhecimento real e real, do e no tempo e do Eterno.

O conhecimento é de dois tipos: real ou auto-conhecimento e sentido - ou conhecimento humano. O autoconhecimento do Eu Triúno é inesgotável e imensurável e é comum aos conhecedores de todos os Eus Triúnos. Não depende dos sentidos, embora inclua tudo o que aconteceu nos mundos; isso diz respeito a tudo, desde a unidade da natureza menos desenvolvida até o Eu Triuno onisciente dos mundos durante todo o tempo no Eterno. É o conhecimento real e imutável ao mesmo tempo disponível nos mínimos detalhes e como um todo perfeitamente relacionado e completo.

Sentido-conhecimento, ciência ou conhecimento humano, é a soma acumulada e sistematizada dos fatos da natureza, observados como leis naturais, ou experimentados pelos fazedores através de seus sentidos não desenvolvidos e corpos imperfeitos. E o conhecimento e as declarações das leis devem ser alterados de tempos em tempos.

Conhecimento do Doer: é a essência do aprendizado do fazedor pensando. A Luz libertada de seus apegos e restaurada à atmosfera noética, no equilíbrio de seus pensamentos, é desapegada e inatingível e, portanto, conhecimento; não é "conhecimento" humano.

Conhecimento do Pensador do Eu Triúno: inclui todo o conhecimento relativo à administração da lei e justiça ao seu fazedor, e na relação do fazedor com outros executores em corpos humanos, através dos seus pensadores.
Todos os pensadores conhecem a lei. Eles estão sempre de acordo um com o outro e com seus conhecedores na administração do destino a seus respectivos executores em corpos humanos. Seu conhecimento do direito e da justiça impede a dúvida e impede a possibilidade de favoritismo. O fazedor de todos os corpos humanos tem o seu destino conforme o faz. Isto é, lei e justiça.

Conhecimento do Conhecedor do Ser Triune, Autoconhecimento: compreende e abraça tudo nos quatro mundos. Como egoísmo é conhecimento, e como identidade identifica e é a identidade do conhecimento. Ela serviu
aprendizado da natureza como unidade da natureza. Lá estava consciente as sua função sucessivamente em todas as partes da máquina natural do tempo. Quando se tornou um Eu Triúno na Luz do Conhecimento da Inteligência no Eterno, cada
A função da qual foi sucessivamente consciente no tempo é ao mesmo tempo disponível, ilimitada pelo tempo, no Eterno. O eu do conhecedor identifica cada função e é a identidade pela qual a unidade era consciente, e a individualidade do conhecedor conhece e é o conhecimento de cada uma dessas funções separadamente, como no tempo, e todas compostas no Eterno. Esse conhecimento é transmitido ao pensador pelas mentes do eu e do egoísmo, e pode estar disponível ao fazedor como consciência na justiça e como intuição na razão.

Conhecimento, Noético (O Mundo do Conhecimento): é composto das atmosferas noéticas de todos os conhecedores dos eus trinos. Lá todo o conhecimento de todo Eu Triúno está disponível e a serviço de todos os outros conhecedores.

Lei: é uma receita para o desempenho, feita pelos pensamentos e atos de seus criadores ou criadores, e aos quais os inscritos estão vinculados.

Lei da Natureza, A: é a ação ou função de uma unidade que é consciente apenas como sua função.

Lei do Pensamento, The: é que cada coisa no plano físico é a exteriorização de um pensamento que deve ser equilibrado por aquele que o gerou, de acordo com sua responsabilidade e na conjunção de tempo, condição
e lugar.

Lei do Pensamento, Destino. Agentes do: Cada humano é um agente para o bem ou para a maldade por seu propósito na vida e pelo que ele pensa e faz. Pelo que ele pensa e faz, um se encaixa para ser usado pelos outros. As pessoas não podem ser usadas ou coagidas a agir contra seus motivos interiores, exceto quando se ajustarem a seus pensamentos e atos. Então eles são influenciados a agir ou ceder por outros humanos, especialmente quando eles não têm
propósito definido na vida. Aqueles que têm um propósito também são instrumentos, porque, qualquer que seja o propósito, ele se encaixará para o bem ou para o mal com o governo do mundo pelos agentes conscientes da lei.

Aprendizagem: é a essência da experiência extraída da experiência pelo pensamento, para que a Luz possa ser libertada e essa experiência não precise ser repetida. O aprendizado é de dois tipos: aprendizado dos sentidos como experiência, experimento, observação e registro deles como memórias sobre a natureza; e, a aprendizagem do fazedor como resultado do pensamento de si mesmo como sentimento e desejo e de sua relação. Os detalhes do aprendizado da memória podem durar pela vida do corpo, mas serão perdidos após a morte. O que o praticante aprende sobre si mesmo como sendo distinto do corpo não será perdido; que, a partir de então, estará com o agente através de suas vidas na terra como seu conhecimento inerente.

Mentiroso, A: é aquele que diz como verdade o que ele sabe que não é assim, falso.

Liberdade: é a imunidade de prisão ou escravidão e o direito de alguém fazer o que quiser, contanto que não interfira com o direito e a escolha iguais de outra pessoa.

Vida: é uma unidade de crescimento, o portador da luz através da forma. A vida age como um agente entre o acima e o abaixo, trazendo a finura para o grosseiro e reconstruindo e transformando o bruto em refinamento. Em cada semente existe uma unidade de vida. No homem, é a forma da respiração.

vidaPara um entendimento crítico: é mais ou menos um pesadelo, uma série aparentemente real, mas incerta, de acontecimentos repentinos ou longos, mais ou menos vívidos e intensos - uma fantasmagoria.

Luz: é aquilo que torna as coisas visíveis, mas que não podem ser vistas. É composto pelas unidades de luz das estrelas ou luz solar ou luz da lua ou do solo, ou da combinação ou condensação e expressão destas como eletricidade ou como combustão de gases, fluidos ou sólidos.

Leve, acoplável e inatingível: é a Luz Consciente da Inteligência emprestada ao Eu Triúno, que o fazedor-do-corpo usa em seu pensamento. A luz conectável é aquela que o agente envia à natureza por seus pensamentos e atos, e recupera e usa repetidas vezes. A Luz inabalável é aquilo que o fazedor reclamou e tornou inatingível, porque equilibrou os pensamentos em que a Luz estava. A luz que é tornada inatingível é restaurada à atmosfera noética de alguém e está disponível àquela como conhecimento.

Luz Consciente: é a Luz que o Eu Triúno recebe de sua Inteligência. Não é natureza nem reflete-se por natureza, entretanto, quando é enviado em natureza e associa com unidades de natureza, natureza parece se manifestar
inteligência, e pode ser chamado de Deus na natureza. Quando, pensando, a Luz Consciente é girada e mantida em qualquer coisa, isso mostra que a coisa é como é. A Luz Consciente é, portanto, Verdade, porque a Verdade mostra que as coisas são
como são, sem preferência ou preconceito, sem disfarce ou pretensão. Todas as coisas são conhecidas por ele quando são viradas e mantidas nelas. Mas a Luz Consciente é embaçada e obscurecida por pensamentos quando o sentimento e o desejo tentam
para pensar, o ser humano vê as coisas como quer vê-las, ou num grau modificado de verdade.

Luz no Doer, Potencial: Quando alguém executa deveres sem reclamar, ingratamente e com prazer porque eles são os deveres dele, e não porque ele lucrará ou ganhará ou se livrará deles, ele está equilibrando os pensamentos dele que fizeram esses deveres. sua deveres, e a Luz que ele libera quando os pensamentos são equilibrados lhe dão um novo sentido da alegria da liberdade. Isso lhe dá uma visão sobre coisas e assuntos que ele não havia entendido antes. Enquanto ele continua a libertar a Luz que ele manteve ligado nas coisas que ansiava e desejava, ele começou a sentir e entender a Luz potencial que está nele e qual será a Luz Consciente real quando ele se tornar uma Inteligência.

Luz da Natureza: é a reação como brilho, brilho, brilho ou brilho das combinações de unidades da natureza, à Luz Consciente enviada à natureza pelos executores dos corpos humanos.

Unidade de Link, Uma Respiração: captura e mantém unidades transitórias de matéria radiante, e é o elo pelo qual a respiração é conectada com a unidade de link vital de sua célula.

Link Unit, A Life-: captura e mantém unidades transitórias de matéria aérea, e é o elo pelo qual a vida é conectada com as unidades de link de forma e de respiração
célula.

Link Unit, A Form-: captura e mantém unidades transitórias de matéria fluida e está conectada com as unidades de link de célula e de link de vida de sua célula.

Link Unit, A Cell-: captura e mantém unidades transitórias de matéria sólida, e pelo qual ela está conectada com outras células no órgão ou parte do corpo ao qual pertence.

"Alma Perdida", R: O que é chamado de “alma perdida” não é a “alma”, mas é uma parte da parte executante, e não é permanentemente, mas apenas temporariamente, perdida ou cortada de suas re-existências e das outras partes do agente. Isso acontece quando, em um dos dois casos, uma porção de doador persistiu, por longos períodos de tempo, em extremo egoísmo e usou a Luz emprestada a ela em fraude, assassinato, ruína ou crueldade deliberada com outros e se tornou um inimigo da humanidade. Então a Luz é retirada e a parte do fazdor deixa de existir; ela se retira para as câmaras da crosta terrestre em auto-tormento até que se tenha exaurido e possa depois reaparecer na terra. O segundo caso é quando uma porção de fazedor desperdiçou a Luz por auto-indulgência em prazer, glutonaria, bebidas e drogas, e eventualmente se torna um idiota incurável. Então essa porção faz uma câmara na terra. Lá permanece até que possa continuar suas re-existências. Em ambos os casos, a aposentadoria é para a segurança de outros, assim como a sua própria.

Ame: é a mesmice consciente através dos mundos; para o fazedor no humano, é o sentimento e desejo de e como o outro em e como a si mesmo e o desejo-e-sentimento de si mesmo no e como o outro.

Amor no Doer: é o estado de união e interação equilibrada entre sentimento e desejo, em que cada um sente e deseja ser e é ele próprio e como o outro.

Mentir e Desonestidade: O desejo de ser desonesto e mentir é um par especial de males; eles vão juntos. Aquele que escolhe ser desonesto e mentir é aquele que depois de longas experiências ao longo da vida falhou em ver as coisas como elas são
e interpretou mal o que ele observou. Ele viu mais particularmente os piores lados das pessoas e se convenceu de que todos os homens são mentirosos e desonestos, e que aqueles que geralmente são considerados honestos e verdadeiros são inteligentes o bastante para encobrir sua desonestidade e esconder suas mentiras. Esta conclusão gera ódio e vingança e interesse próprio; e aquele se torna um inimigo para a humanidade, como um criminoso ou como um astuto
e conspirador cuidadoso contra os outros para sua própria vantagem. Por maior que seja a maldição para o mundo em que alguém possa se tornar, seus pensamentos como seu destino acabarão por revelá-lo ao mundo e a si mesmo. Com o tempo, ele aprenderá que a honestidade e a veracidade no pensamento e na ação mostram o caminho para o autoconhecimento.

Malícia:é a obsessão por um espírito de má vontade e má intenção de ferir, causar sofrimento; é um inimigo da boa vontade e da ação correta.

Maneiras: Boas maneiras são inerentes ao caráter do executor; eles são desenvolvidos, não enxertados. O polimento superficial não ocultará a qualidade inerente de boas ou más maneiras, qualquer que seja a posição do fazedor na vida.

Importam: é a substância manifestada como unidades não inteligentes como a natureza, e que progride para ser unidades inteligentes como Eus Trinos.

Significado: é a intenção em um pensamento expresso.

Médio, A: é um termo geral que significa canal, meio ou meio de transporte. É aqui usado para descrever uma pessoa cujo corpo radiante ou astral exala e irradia uma atmosfera que atrai qualquer um dos muitos espíritos da natureza, elementais ou errantes nos estados após a morte e que procuram os vivos. O médium, portanto, age como um meio de comunicação entre tal e o agente nos corpos humanos.

Memória: é a reprodução de uma impressão por aquela em que a impressão é tirada. Existem dois tipos de memória: memória sensorial e memória do fazedor. Da memória sensorial, existem quatro classes: memória visual, memória auditiva, memória gustativa e memória olfativa. Cada conjunto de órgãos dos quatro sentidos é organizado para captar impressões do elemento do qual ele é o representante, e transmitir as impressões àquelas em que as impressões são registradas e pelas quais elas são reproduzidas; no humano, é a forma da respiração. A reprodução de uma impressão é uma lembrança.

Memória, Doer-: é a reprodução dos estados de seu sentimento e desejo em seu corpo atual, ou em qualquer um dos corpos anteriores em que viveu nesta terra. O fazedor não vê ou ou ou sente ou cheira. Mas as visões, sons, gostos e cheiros que ficam impressos na forma da respiração reagem ao sentimento e desejo do praticante e produzem dor ou prazer, alegria ou tristeza, esperança ou medo, alegria ou melancolia. Esses sentimentos são lembranças dos estados de alegria ou depressão que experimentou. Há quatro classes de memória do fazedor: as psicofísicas, que são reações de sentimento e desejo aos eventos físicos da vida presente; memórias psíquicas, que são as reações de
sentimento e desejo a lugares e coisas a favor ou contra, que são devidas a condições similares vivenciadas em vidas passadas; memórias psico-mentais, que dizem respeito a questões de certo ou errado ou são a solução de problemas mentais ou
o estabelecimento de situações repentinas ou inesperadas de vida; e memória psico-noética, que diz respeito ao conhecimento da identidade, quando o tempo desaparece em um momento e o faz consciente de seu isolamento na identidade atemporal
independentemente de todas as vidas e mortes por que passou.

Memória, Sentido: envolve (a) os órgãos do olho, como uma câmera com a qual a foto deve ser tirada; (b) o sentido da visão com o qual a visão clara e a focalização devem ser feitas; (c) o negativo ou placa na qual a imagem deve ser impressa e da qual a imagem deve ser reproduzida; e (d) aquele que faz a focalização e tira a foto. O conjunto de órgãos de visão é o aparato mecânico usado para ver. A visão é a unidade da natureza elemental usada para transmitir as impressões ou a imagem focalizada na forma da forma da respiração. O fazedor é o vidente que percebe a imagem focalizada em sua forma de respiração. A reprodução ou memória dessa imagem é automática e mecanicamente reproduzida pela associação com o objeto a ser lembrado. Qualquer outro processo mental interfere ou impede uma fácil reprodução ou memória. Tal como acontece com o sentido da visão e seus órgãos para ver, assim é com a audição, o gosto e o cheiro, e suas reproduções como memórias. Vendo é a memória óptica ou fotográfica; audição, memória auditiva ou fonográfica; degustação, a memória gustativa; e cheirando, a memória olfativa.

Atitude mental e conjunto mental:A atitude mental é a visão da vida; é como uma atmosfera com a intenção geral de ser ou fazer ou ter algo. Seu conjunto mental é o modo e os meios específicos de estar, fazer ou ter o que quer que seja essa coisa, que é determinada e provocada pelo pensamento.

Operações Mentais: são a maneira ou o modo de trabalhar de qualquer uma das três mentes usadas pelo fazedor-no-corpo.

Metempsicose: é o período após o fazedor ter deixado o Salão do Julgamento e a forma da respiração, e está dentro e passa pelo processo de purgação, onde separa aqueles de seus desejos que causam sofrimento, de seus melhores desejos que o tornam feliz. A metempsicose termina quando isso é feito.

Mente: é o funcionamento da matéria inteligente. Existem sete mentes, isto é, sete tipos de pensamento pelo Ser Triúno, com a Luz da Inteligência, ainda que sejam um. Todos os sete tipos devem agir de acordo com um princípio, isto é, manter a Luz firmemente sobre o assunto do pensamento. Eles são: a mente do eu e a mente do egoísmo do conhecedor; a mente da justiça e a mente da razão do pensador; a mente do sentimento e a mente do desejo do fazedor; e o corpo-mente que também é usado pelo fazedor da natureza e apenas pela natureza.

O termo “mente” é aqui usado como aquela função ou processo ou coisa com a qual ou pelo qual o pensamento é feito. É um termo geral aqui para as sete mentes, e cada um dos sete é do lado da razão do pensador do Ser Triúno. Pensar é a firme sustentação da Luz Consciente no assunto do pensamento. A mente para o eu e a mente para o egoísmo são usadas pelos dois lados do conhecedor do Eu Triúno. A mente para a justiça e a mente da razão são usadas pelo pensador do Eu Triúno. O sentimento-mente e o desejo-mente e corpo-mente devem ser usados ​​pelo fazedor: os dois primeiros para distinguir o sentimento e o desejo do corpo e da natureza e tê-los em união equilibrada; o corpo-mente deve ser usado através dos quatro sentidos, para o corpo e sua relação com a natureza.

Mente, o corpo: O propósito real do corpo-mente é para o uso do sentimento e desejo, para cuidar e controlar o corpo, e através do corpo para guiar e controlar os quatro mundos por meio dos quatro sentidos e seus órgãos no mundo. corpo. O corpo-mente só pode pensar através dos sentidos e em termos restritos aos sentidos e à matéria sensual. Em vez de serem controlados, o corpo-mente controla o sentimento e o desejo, de modo que eles são incapazes de distinguir-se do corpo, e o corpo-mente domina o pensamento deles, que são compelidos a pensar em termos dos sentidos e não em termos adequados ao sentimento e desejo.

Mente, o sentimento: é aquilo com que o sentimento pensa, de acordo com suas quatro funções. Estas são perceptividade, conceito, formatividade e projeção. Mas em vez de usá-los para a emancipação de si mesmos da escravidão à natureza, eles são controlados através do corpo-mente por natureza através dos quatro sentidos: visão, audição, paladar e olfato.

Mente, o desejo: que o desejo deve usar para disciplinar e controlar o sentimento e a si mesmo; distinguir-se como desejo do corpo em que está; e, para trazer a união de si com sentimento; em vez disso, permitiu-se subordinar-se e ser controlado pelo corpo-mente a serviço dos sentidos e dos objetos da natureza.

Moral: são determinados na medida em que os sentimentos e desejos de uma pessoa são guiados pela voz sem som da consciência no coração em relação ao que não fazer, e pelo julgamento correto da razão, quanto ao que fazer. Então, não obstante a atração dos sentidos, a conduta de alguém será direta e correta, com respeito a si mesmo e com consideração pelos outros. A moral de alguém será o pano de fundo da atitude mental de alguém.

Misticismo: é a crença ou o esforço para a comunhão com Deus, pela meditação ou pela vivência da proximidade, da presença ou da comunhão com Deus. Os místicos são de todas as nações e religiões, e alguns não têm religião especial. Seus métodos ou práticas variam do silêncio em silêncio a violentos exercícios físicos e exclamações, e da reclusão individual à manifestação em massa. Os místicos geralmente são honestos em suas intenções e crenças e são sinceros em suas devoções. Eles podem subir em êxtase repentino a alturas beatificadas e afundar nas profundezas da depressão; suas experiências podem ser breves ou prolongadas. Mas estas são apenas experiências de sentimentos e desejos. Eles não são os resultados do pensamento claro; eles não têm conhecimento. O que eles consideram ser conhecimento de Deus ou proximidade de Deus é invariavelmente conectado com os objetos da visão, audição, paladar ou olfato, que são dos sentidos - não do Eu, ou da Inteligência.

Natureza: é uma máquina composta da totalidade de unidades não inteligentes; unidades que são conscientes apenas como suas funções.

Necessidade: é o destino, ação irresistível, geralmente imediata, da qual não há escapatória para deuses ou homens.

Noético: Aquilo que é de conhecimento ou relacionado ao conhecimento.

Número: é Um, um todo, como um círculo, no qual todos os números são incluídos.

Números: são os princípios do ser, em continuidade e relação com a unidade, Unidade.

1: é uma unidade, uma unidade ou todo, a origem e inclusão de todos os números como suas partes, em extensão ou conclusão.

Unidade: é a relação correta de todos os princípios e partes
uns aos outros.

Opinião: O julgamento é pronunciado após a devida consideração de todos os aspectos do assunto em questão.

Oportunidade: é o momento ou condição adequada ou favorável, ou o local para ação, para realizar qualquer propósito e que, particularmente, diz respeito às necessidades ou desejos das pessoas.

Dor: é um conjunto de sensações perturbadoras, como a penalidade de pensar ou fazer coisas impróprias, e é o aviso que é dado ao agente do sentimento e desejo para remover sua causa.

Paixão: é a fúria de sentimentos e desejos em relação a objetos ou assuntos dos sentidos.

Paciência: é a persistência calma e cuidadosa na realização do desejo ou propósito.

Corpo Físico Perfeito: é o estado ou condição que é o último, o completo; do qual nada pode ser perdido, nem ao qual qualquer coisa possa ser adicionada. Tal é o perfeito corpo físico sem sexo do Eu Triúno no Reino de
Permanência.

Personalidade: é o corpo humano corpóreo, a máscara, no interior e através do qual o fator incorpóreo do desejo-e-sentimento pensa, fala e age.

Pessimismo: é uma atitude mental produzida pela observação ou crença de que os desejos humanos não podem ser satisfeitos; que as pessoas e o mundo estão fora do comum; e, que não há nada a ser feito sobre isso.

Plano: é aquilo que mostra o caminho ou os meios pelos quais o propósito é realizado.

Prazer: é o fluxo de sensações de acordo com os sentidos e gratificante para o sentimento e o desejo.

Poesia: é a arte de modelar o significado do pensamento e do ritmo em formas ou palavras de graça ou de poder.

Ponto, A: é aquilo que é sem dimensão, mas de onde vêm as dimensões. Um ponto é o começo de tudo. O não-manifesto e o manifesto são divididos por um ponto. O não manifestado se manifesta através de um ponto. O manifestado retorna ao não-manifestado através de um ponto.

Poise: é o estado de equilíbrio, de equanimidade mental e controle do corpo, no qual se pensa e sente e age com facilidade, não perturbado por circunstâncias ou condições, ou pelos pensamentos ou atos de outros.

Posses: são tais necessidades como comida, roupa, abrigo e os meios para manter a personalidade em sua posição na vida; além desses e em todos os outros aspectos, são armadilhas, cuidados e algemas.

Poder Consciente: é o desejo, que traz mudanças em si mesmo, ou que causa mudanças em outras coisas.

Pranayama: é um termo sânscrito que está sujeito a inúmeras interpretações. Praticamente aplicado, significa o controle ou a regulação da respiração por meio de exercícios prescritos de inalação, suspensão, expiração, suspensão e inalação medidas para um certo número de tais ciclos ou por um determinado período de tempo. Nos Yoga Sutras de Patanjali, o pranayama é dado como o quarto nos oito passos ou estágios do yoga. O propósito do pranayama é dito ser o controle do prana, ou o controle da mente em concentração. No entanto, a prática do pranayama confunde e derrota o propósito, porque o pensamento é direcionado para ou na respiração ou no prana, e as paradas na respiração. Este pensamento e parar em respirações impede o pensamento real. A Luz Consciente usada no pensamento - para tornar conhecido ao pensador o assunto de seu pensamento - é impedida de fluir, interrompendo o fluxo natural e regular da respiração física. A Luz Consciente entra apenas nos dois pontos neutros entre a inspiração e a expiração e a expiração e a inspiração. A paralisação impede a luz. Portanto, não há luz; nenhum pensamento real; nenhuma yoga ou união real; nenhum conhecimento real.

Preferência: é o favor de alguma pessoa, lugar ou coisa por sentimento e desejo, sem a devida consideração pelo direito ou razão; impede a visão mental verdadeira.

Preconceito: está julgando uma pessoa, lugar ou coisa à qual o sentimento e o desejo se opõem, sem considerar ou não o direito ou a razão. O preconceito impede o julgamento correto e justo.

Princípio: é o substrato do qual todos os princípios são o que são e pelo qual podem ser distinguidos.

Princípio A é aquele fundamental em uma coisa da qual foi, pelo qual veio a ser o que é, e segundo o qual seu caráter pode ser conhecido onde quer que esteja.

progresso: é a continuação do aumento da capacidade de ser consciente e da capacidade de fazer bom uso daquele que é consciente.

Punição: é a penalidade por ação errada. Não se destina a causar tormento e sofrimento ao punido; Pretende-se ensinar àquele que é punido que não pode errar sem sofrer, em breve ou tardiamente, as consequências do erro.

Objetivo: é o motivo orientador do esforço como o imediato, pelo qual se esforça, ou o assunto final a ser conhecido; é a direção consciente da força, a intenção em palavras ou em ação, a realização do pensamento e do esforço, o fim da realização.

Qualidade: é o grau de excelência desenvolvido na natureza e função de uma coisa.

Realidade, A: é uma unidade como é, desapegada, a própria coisa; aquilo que se sente ou é consciente, no estado ou no plano em que se encontra, sem consideração ou relação com outra coisa que não aquela.

Realidade Relativa: a continuidade dos fatos ou das coisas e sua relação uns com os outros, no estado e no plano em que são observados.

Realidade, Ultimate: Consciência, imutável e absoluta; A Presença da Consciência em e através de cada unidade da natureza e Auto e Inteligência Triúna ao longo do tempo e espaço no Eterno, durante a totalidade da continuidade de seu progresso constante através de graus cada vez mais elevados em ser consciente até que seja um com e como Consciência .

Domínio da Permanência, The: permeia a fantasmagoria deste mundo humano de nascimento e morte, assim como a luz do sol permeia o ar que respiramos. Mas o mortal vê e entende o Reino não mais do que nós vemos ou entendemos a luz do sol. A razão é que os sentidos e percepções são desequilibrados e não sintonizados com coisas que o tempo e a morte não podem afetar. Mas o Reino da Permanência sustenta e preserva o mundo humano da destruição total, assim como a luz solar faz a vida e o crescimento das coisas vivas. O agente consciente do corpo compreenderá e perceberá o Reino da Permanência ao compreender e distinguir-se do corpo mutável em que deseja, sente e pensa.

Motivo: é o analisador, regulador e juiz; o administrador da justiça como a ação do conhecimento de acordo com a lei da justiça. É a resposta de perguntas e problemas, o começo e o fim do pensamento e o guia para o conhecimento.

Re-existência: é a porção executora que deixa as outras partes de si mesma, em essência, para reexistirem longe de si mesma, na natureza, quando o corpo humano animal tiver sido preparado e preparado para entrar e tomar uma residência de vida naquele corpo. O corpo animal é preparado treinando-o para fazer uso de seus sentidos, andar e repetir as palavras que ele é treinado para usar. Isso faz, como um papagaio, enquanto ainda é animal. Torna-se humano assim que é inteligente, como mostram as perguntas que ele faz e o que entende.

Regeneração: é a reversão da geração, procriação do corpo. Isto significa: as células germinativas no corpo são usadas para não trazer outro corpo ao mundo, mas para mudar e dar uma nova e maior ordem de vida ao corpo. Esta é uma reconstruindo o corpo de um corpo masculino ou feminino incompleto em um corpo físico completo e perfeito, que é realizado por não receber pensamentos de sexo ou pensar em atos sexuais; e pela persistente atitude mental de regenerar o próprio corpo ao estado perfeito original do qual ele veio.

Relação: é a origem e seqüência na unidade final pela qual todas as unidades da natureza e unidades inteligentes e Inteligências estão relacionadas na Semelhança Consciente.

Religião: é o laço de um ou de todos os quatro elementos da natureza, como fogo, ar, água ou terra, através dos sentidos corporais da visão, audição, paladar ou olfato, que prendem ou ligam o agente consciente no corpo a natureza. Isso é feito em pensamentos e atos pela adoração e por holocaustos, cantos e aspersões ou imersões na água e pelo incenso a um ou mais deuses dos elementos do fogo, ar, água ou terra.

Responsabilidade: depende da capacidade de saber o certo do errado; é a dependência e a confiança que podem ser colocadas em um para fazer tudo o que ele no passado e no presente fez, ou no futuro fará, a si mesmo responsável. A responsabilidade envolve honestidade e veracidade, honra e confiabilidade e outras características que constituem um caráter forte e destemido, cuja palavra é mais confiável do que um contrato legal.

Ressurreição: tem um significado duplo. A primeira é a reunião dos quatro sentidos e dos compositores do corpo da vida passada, que foram distribuídos na natureza após sua morte, e a reconstrução pela forma da respiração de um novo corpo carnal para servir como a residência do corpo. faz de volta à vida terrena. O segundo e verdadeiro significado é que o agente no corpo do homem ou da mulher regenera o corpo sexual do corpo do homem ou mulher imperfeitos, para um corpo onde os fundamentos dos dois sexos são fundidos em um corpo físico perfeito e restaurados, ressuscitados. , ao seu antigo e original e imortal estado de perfeição.

Vingança: é um desejo faminto de infligir dano a outro em retaliação e como punição por danos reais ou imaginários sofridos, e para satisfazer o desejo de vingança.

Ritmo: é o caráter e significado do pensamento expresso através da medida ou movimento em som ou forma, ou por sinais escritos ou palavras.

Direita: é a soma de conhecimento de qual é consciente, como sua regra de ação de dentro.

Acerto: é o padrão de pensamento e ação, como a lei prescrita e a regra de conduta, para quem faz o sentimento e o desejo no corpo. Está localizado no coração.

Tristeza: é a depressão do sentimento pelo pensamento passivo.

Eu, o mais alto: é o desejo ou desejos que o humano é consciente de ser superior, superior, superior aos desejos sensuais, carnais, triviais e insignificantes de sua vida cotidiana. O eu superior não é um ser separado de
desejo no humano, mas o humano pensa em um eu superior porque, como desejo, está inseparavelmente relacionado à personalidade do conhecedor de seu Eu Triúno, daí a fonte real do desejo de alguém pelo "Eu Superior".

Auto-ilusão: é o estado no qual o fazedor se coloca, deixando que atração ou repulsa, preferência ou preconceito influenciem o pensamento.

Selfness: é o conhecimento de si mesmo como o conhecedor do Eu Triúno.

Sensação: é o contato e a impressão das unidades da natureza sobre o sentimento, através dos sentidos e nervos do corpo, resultando em um sentimento, uma emoção, um desejo. Sensação não é um sentimento, uma emoção ou um desejo. Sem o corpo, o sentimento não tem sensação. Enquanto o sentimento está no corpo, há um fluxo constante de unidades da natureza que passam pelos sentidos e passam pelo corpo como impressões sobre o sentimento, algo como uma impressão de tinta no papel. Como sem a tinta e o papel, não haveria página impressa, assim, sem as correntes das unidades da natureza e sentindo que não haveria sensação. Todas as dores, prazeres e emoções, todas as alegrias, esperanças e medos, a tristeza, a tristeza e o desânimo são sensações, os resultados das impressões feitas nos sentimentos, pelo contato das unidades da natureza. Assim também são as respostas pelo desejo às impressões feitas sobre os sentimentos, como avidez, cupidez, cobiça, avareza, rapacidade, luxúria ou aspiração. Mas o desejo em si mesmo sem o corpo não é nada disso, não mais do que o sentimento é a impressão feita nele pelo seu contato com as unidades da natureza.

Sentidos do Corpo: são os embaixadores da natureza na corte do homem; os representantes dos quatro grandes elementos do fogo, ar, água e terra, que são individualizados como visão, audição, paladar e olfato do corpo humano.

sentimento: é opinião expressada sentindo e pensando com respeito a uma pessoa, lugar ou coisa.

Sentimentalismo: é a degradação do sentimento pelo falso sentimento.

Sexos: são as exteriorizações na natureza dos pensamentos de desejo e sentimento que resultam em corpos masculinos e femininos.

Sexualidade: é a condição hipnótica do sentimento e desejo em um corpo humano experimentando formas e fases da natureza - loucura ou intoxicação da natureza.

Visão: é uma unidade de fogo, atuando como o embaixador do elemento fogo da natureza no corpo do homem. A visão é o canal através do qual o elemento fogo da natureza e o sistema gerador no corpo agem e reagem um sobre o outro. A visão é a unidade da natureza que relaciona e coordena os órgãos do sistema gerador e funciona como visão pela relação adequada de seus órgãos.

Silêncio: é o conhecimento em repouso: calma consciente sem movimento ou som.

Pecado: é o pensar e fazer o que se sabe estar errado, contra a correção, o que se sabe estar certo. Qualquer desvio do que se sabe estar certo é pecado. Há pecados contra si mesmo, contra os outros e contra a natureza. As penalidades do pecado são a dor, a doença, o sofrimento e, eventualmente, a morte. O pecado original é o pensamento, seguido pelo ato sexual.

Habilidade: é o grau de arte na expressão do que se pensa e deseja e sente.

Dormir: é o desapego pelo sentimento e desejo do agente, do sistema nervoso e dos quatro sentidos do corpo, e se retira para si mesmo no sono sem sonhos. O abandono é causado pelo afrouxamento das atividades do corpo por causa de sua necessidade de descanso, pela natureza para reparar os resíduos e condicionar o corpo durante a ausência do doador. Então o fazedor está fora de contato com a natureza e não pode ver, ouvir, tocar ou cheirar.

Cheiro: é uma unidade do elemento terra, o representante do elemento terra em um corpo humano. O olfato é o solo sobre o qual o elemento terra da natureza e o sistema digestivo do corpo se encontram e se contatam. A visão age com audição, ouvindo atos por gosto, gosto age em cheiro, cheiro age no corpo. A vista é o fogo, ouvindo o ar, provando o aguado e cheirando a terra firme. O olfato é a base sobre a qual os outros três sentidos agem.

Sonambulismo: é a caminhada durante o sono profundo, o fazer das coisas pelo dormente como se estivesse acordado e, em certos casos, realizar feitos que o sonâmbulo não tentaria enquanto estivesse acordado. O sonambulismo é o resultado do pensamento passivo enquanto acordado; e tal pensamento passivo faz impressões profundas na forma da respiração. Então, em algum momento do sono profundo, o que foi sonhado no estado de vigília é realizado automaticamente pela forma da respiração, de acordo com o plano inscrito pelo sonâmbulo.

Sonâmbulo, A: é um sonâmbulo, aquele que é imaginativo e cujo corpo astral e forma de respiração são impressionáveis ​​e sujeitos à sugestão; aquele que pensa no que gostaria de fazer, mas tem medo de fazer. As coisas em que ele pensou no dia-sonho, no estado de vigília, são mais tarde encenadas por sua forma de respiração durante o sono. Mas, ao acordar, ele não está consciente do que seu corpo foi feito para adormecer.

Alma: O indefinido algo de religiões e filosofias, às vezes dito ser imortal e em outras vezes dito estar sujeito à morte, cuja origem e destino foram explicitamente explicados, mas que sempre foi uma ajuda para ser uma parte ou associada ao humano. corpo. É a forma ou lado passivo da forma de respiração de todo corpo humano; seu lado ativo é a respiração.

Espaço: é a substância, a coisa sempre não manifestada e inconsciente, que é a origem e fonte de toda coisa manifestada. É sem limites, partes, estados ou dimensões. É através de cada unidade da natureza, em que todas as dimensões existem e toda a natureza se move e tem seu ser.

Espírito: é o lado ativo de uma unidade da natureza que energiza e opera através do outro lado ou passivo de si mesmo, chamado matéria.

Espiritismo:. geralmente chamado de espiritismo, tem a ver com os espíritos da natureza ou elementais do fogo, ar, água e terra, e às vezes com partes do agente humano que se afastou da vida terrena. Estes são geralmente vistos ou comunicados através de um médium em transe. Em transe, o corpo radiante ou astral do médium é o material ou forma usada na qual o decaído aparece, e partículas do corpo carnal do médium e as partículas dos corpos dos espectadores podem ser retiradas para dar a aparência de corpo e peso. . Não obstante a ignorância e o engano de tais materializações nas sessões, partes de quem morreu podem retornar e aparecer através da instrumentalidade de um médium.

Substância: é um espaço sem fronteiras, sem partes, homogêneo, o mesmo por toda parte, o todo contendo “nada”, mesmice inconsciente, que é, no entanto, presente em toda a natureza.

Sucesso: está no cumprimento de propósito.

Súcubo: é uma forma feminina invisível tentando obsessar ou ter relação sexual com um homem durante o sono. Como o íncubo, os súcubos são de dois tipos e variam em forma e intenção. Incubus e súcubos não devem ser tolerados sob qualquer pretexto. Eles podem causar muito dano e causar sofrimento não sonhado a um humano.

Símbolo, um:é um objeto visível para representar um sujeito invisível em que se deve pensar, como ele mesmo ou em relação a outro sujeito.

Taste: é uma unidade do elemento da água da natureza progrediu ao grau de agir como um ministro da natureza no corpo humano. Gosto é o canal no qual o elemento água da natureza e o sistema circulatório no corpo circulam um no outro. Gosto é a unidade da natureza que mistura e relaciona as unidades de ar e terra em suas unidades de água para prepará-las para a circulação e digestão e em seus próprios órgãos para funcionar como gosto.

Pensador: O verdadeiro pensador do Eu Triúno está entre seu conhecedor e seu agente no corpo humano. Pensa com a mente da justiça e da mente da razão. Não há hesitação ou dúvida em seu pensamento, não há desacordo entre sua correção e razão. Não comete erros em seu pensamento; e o que pensa é ao mesmo tempo eficaz.

O fazedor-no-corpo é espasmódico e instável em pensar; suas mentes de sentimento e desejo nem sempre estão de acordo, e seu pensamento é controlado pelo corpo-mente que pensa através dos sentidos e dos objetos dos sentidos. E, em vez de com a Luz clara, o pensamento é feito geralmente em um nevoeiro e com a Luz difundida no nevoeiro. No entanto, a civilização no mundo é o resultado do pensamento e dos pensamentos que o fizeram. Se alguns dos executores em corpos humanos se tornassem conscientes de que eles são os imortais que são, e controlassem em vez de serem controlados por suas mentes corporais, eles poderiam então transformar a Terra em um jardim de todas as maneiras superiores ao egendiário. paraíso.

Pensando: é a firme sustentação da Luz Consciente dentro do assunto do pensamento. É um processo de (1) a seleção de um assunto ou a formulação de uma questão; (2) girando a Luz Consciente sobre ela, o que é feito dando atenção total a ela; (3) segurando firme e focalizando a Luz Consciente no assunto ou pergunta; e (4) trazendo a Luz para um foco no assunto como um ponto. Quando a Luz Consciente está focalizada no ponto, o ponto se abre para a plenitude de todo o conhecimento do assunto selecionado ou em resposta à questão formulada. O pensamento afeta os sujeitos de acordo com sua suscetibilidade e pela correção e pelo poder do
pensando.

Pensando, Ativo: é a intenção de pensar em um assunto, e é o esforço para manter a Luz Consciente dentro do assunto, até que esse assunto seja conhecido, ou até que o pensamento seja distraído ou voltado para outro assunto.

Pensando, Passivo: é o pensamento que é feito sem qualquer intenção definida; é iniciado por um pensamento fugaz ou uma impressão dos sentidos; o jogo ocioso ou sonhar acordado envolvendo uma ou todas as três mentes do fazedor em tal Luz
como pode ser na atmosfera psíquica.

Pensar que não cria pensamentos, isto é, destino: Por que uma pessoa pensa? Ele pensa porque seus sentidos o compelem a pensar, sobre objetos dos sentidos, sobre pessoas e eventos, e suas reações a eles. E quando ele pensa que quer ser alguma coisa, fazer alguma coisa, ou conseguir ou ter alguma coisa. Ele quer! E quando ele quer, ele se liga e a Luz em um pensamento, ao que ele quer; ele criou um pensamento. Isso significa que a Luz em seu pensamento está unida ao desejo que deseja, ao assunto e curso de ação, ou ao objeto ou coisa que deseja. Por esse pensamento ele anexou e ligou a Luz e a si mesmo. E a única maneira pela qual ele pode libertar a Luz e a si mesmo dessa ligação é ser desapegado; isto é, ele deve equilibrar o pensamento que o liga, libertando a Luz e seu desejo da coisa que ele quer. Para fazer isso, geralmente leva inúmeras vidas, idades, para aprender, entender; entender que ele não pode agir tão bem e tão livremente com a coisa à qual ele está ligado e preso, como ele pode se ele não estivesse ligado, não estivesse ligado. Seu desejo é você! A ação ou coisa que você quer não é você. Se você se apega e se prende a ele por um pensamento, não pode agir tão bem quanto se estiver livre e livre para agir sem apego. Portanto, o pensamento que não cria pensamentos é estar livre para pensar, e não querer, ter, segurar, mas agir, ter, manter, sem estar ligado ao ato, ao que você tem, ao que você aguarde. Isto é, pensar em liberdade. Então você pode pensar claramente, com Luz clara e com poder.

Pensamento, A: é um ser vivo na natureza, concebido e gestado no coração pelo sentimento e desejo com a Luz Consciente, elaborado e emanado do cérebro, e que se exteriorizará como um ato, objeto ou evento, de novo e de novo, até que é equilibrado. O pai realizador do pensamento é responsável por todos os resultados que fluem dele até que esse pensamento seja equilibrado; isto é, pelas experiências das exteriorizações, o aprendizado das experiências, o fazedor
liberta a Luz e o sentimento e desejo do objeto da natureza ao qual eles estavam ligados, e assim adquire conhecimento.

Pensei, equilibrando um: O pensamento extrai a Luz de um pensamento quando o sentimento e o desejo estão de acordo um com o outro e ambos estão de acordo com o egoísmo relativo ao ato, objeto ou evento que foi testemunhado pelo eu. Então o pensamento transfere e restaura a Luz para a atmosfera noética e o pensamento é equilibrado, deixa de existir.

Pensamento, o fator de equilíbrio em um: é a marca que a consciência marca em um pensamento como seu selo de desaprovação no momento da criação do pensamento pelo sentimento e desejo. Através de todas as mudanças e exteriorizações do pensamento, a marca permanece até o equilíbrio desse pensamento. A marca e o pensamento desaparecem quando o pensamento está equilibrado.

Pensamento, Decisão: O pensamento que preside no momento da morte é o pensamento dominante para a vida seguinte na terra. Pode ser mudado, mas enquanto isso influencia, o pensamento dele ajuda na seleção de seus associados e lideranças.
ou o apresenta a outros de pensamento semelhante. Muitas vezes decide na seleção de uma profissão ou negócio ou ocupação que ele pode seguir ao longo da vida. Enquanto permanece a sua decisão, ele acalma sua disposição e dá
cor a sua visão da vida.

Pensamentos, Visitando: Os pensamentos circulam; são tão gregários quanto seus pais são; eles se visitam nas atmosferas mentais dos seres humanos, por causa dos objetivos e objetos para os quais são criados, e se encontram na atmosfera dos interesses semelhantes dos seres humanos que os criam. Os pensamentos são as principais causas do encontro e associação de pessoas; a semelhança de seus pensamentos atrai as pessoas.

Tempo: é a mudança de unidades ou de massas de unidades em relação umas às outras. Existem muitos tipos de tempo nos mundos e nos diferentes estados. Por exemplo: a massa de unidades que compõem o sol, a lua, a terra, mudando em relação umas às outras, são medidas como tempo do sol, tempo da lua, tempo da Terra.

Transmigração: é o processo que segue a ligação dos germes humanos masculinos e femininos pela forma da respiração, a alma do corpo futuro, na concepção. É a migração e reunir sucessivamente todo o
elementos e vidas e formas tipológicas dos reinos mineral e vegetal e animal da natureza em que foram distribuídos após a morte, relacionando-os e construindo-os em um novo corpo humano, um novo universo, de acordo com a alma, a forma do corpo para seja, e preparando-o para ser a residência carnal para o retorno e re-existência da porção executora do Ser Triúno. A migração dos constituintes do corpo é através ou através destes reinos
da natureza: o mineral ou elementar, a planta ou vegetal e animal, em um bebê. Esse é o fim da transmigração da alma, a forma, para o humano, através de ou através de três reinos da natureza para o humano.

Eu Triúno: O indivisível autoconhecimento e imortal; sua identidade e conhecimento como conhecedor; sua correção e razão parte como pensador, no Eterno; e, seu desejo e sentimento fazem parte, existindo periodicamente na terra.

Auto Trino dos Mundos, O: é como a identidade do mundo noético dos Eus trinos, e está em relação à Inteligência Suprema como o Eu Triúno à sua Inteligência.

Confiança: é a crença fundamental na honestidade e veracidade de outros seres humanos, porque existe a profunda honestidade sentada em quem confia. Quando alguém fica desapontado com a confiança equivocada em outro, ele deve
Não perca a confiança em si mesmo, mas ele deve aprender a ser cuidadoso, cuidado com o que e em quem ele confia.

Veracidade:é o desejo de pensar e falar diretamente sobre as coisas sem pretender falsificar ou deturpar o assunto pensado ou falado. Claro, entende-se que não se deve revelar a
inquirir ou curar as pessoas tudo o que ele sabe.

tipos: Um tipo é o inicial ou o início do formulário, e o formulário é a inclusão e a conclusão do tipo. Os pensamentos são os tipos de animais e objetos e são formas encorpadas como expressões de sentimentos e desejos humanos na tela da natureza.

Compreensão: é perceber e sentir o que as coisas são de si mesmas, quais são suas relações e compreender por que elas são assim e estão tão relacionadas.

Unidade, A: é um círculo indivisível e irredutível, que tem um lado não-manifestado, como mostrado por um diâmetro horizontal. O lado manifesto tem um lado ativo e um lado passivo, como mostrado por uma linha média-vertical. Mudanças feitas por sua interação são efetuadas pela presença do não manifestado através de ambas. Cada unidade tem a potencialidade de se tornar uma com a realidade suprema - Consciência - por sua constante progressão em ser consciente em toda a eternidade.
graus mais elevados.

Unidades: O treinamento e a educação das unidades baseiam-se na proposição de que toda unidade da natureza tem a potencialidade de se tornar uma Inteligência. A educação da unidade é realizada em uma Universidade de Direito. Uma Universidade de Direito é um
corpo físico aperfeiçoado e assexuado do Reino da Permanência, que é governado pelo fazedor e pelo pensador e conhecedor de um Eu Triúno, completo de acordo com a Ordem Eterna de Progressão.

A educação da unidade não-inteligente da natureza consiste no aumento de ser consecutivamente consciente como sua função em todos os graus até se graduar na Universidade, para se tornar uma unidade inteligente além da natureza.

Os graus no corpo perfeito são: unidades transitórias, unidades de composição e unidades de sentido, e finalmente há a unidade de forma de respiração, que está em treinamento para ser graduada a partir da natureza e ser uma unidade inteligente consciente as em si e of a todos
coisas e leis. Unidades transitórias são, pelos compositores, compostas e funcionam como estrutura em todas as partes do corpo de leis da Universidade. Durante sua permanência transitória, eles são capacitados e cobrados como leis e enviados para serem as leis operacionais da natureza. As unidades de sentido são os embaixadores dos grandes elementos fogo, ar, água e terra, que devem guiar os quatro sistemas - generativo, respiratório, circulatório e digestivo - dos quais os órgãos
estão operando peças. A unidade de forma de respiração coordena os sentidos, sistemas e órgãos na constituição do funcionamento do corpo.

Unidades, Natureza: são distinguidos por serem conscientes as apenas as suas funções. Unidades da natureza não são conscientes of qualquer coisa. Existem quatro tipos: unidades livres que estão soltas e não conectadas a outras unidades em massa ou estrutura; unidades transitórias, que são compostas ou coesas em estrutura ou massa por um tempo e depois passam adiante; unidades compositoras, que compõem e mantêm unidades transitórias por um tempo; e unidades sensoriais, como visão, audição, paladar e olfato, que controlam ou governam os quatro sistemas do corpo humano. Todas as unidades da natureza não são inteligentes.

Unidade, um órgão: Através de uma unidade de ligação celular, uma unidade de órgão mantém em relação todas as células das quais o órgão é composto, de modo que ele possa desempenhar sua função ou funções que o ligam aos outros órgãos no que é um dos quatro sistemas no corpo ao qual pertence.

Unidades, Sentido: são as quatro unidades de natureza de ligação no corpo que conectam e relacionam os quatro sentidos da visão, audição, paladar e olfato, com seus respectivos quatro sistemas: visão com o gerador, audição com o respiratório, gosto com a circulação, e cheiro com o digestivo; e, com os quatro elementos: fogo, ar, água e terra.

Vaidade: é o vazio invisível e não apreciado de todos os objetos ou posições e sessões desejadas no mundo, em comparação com o Reino da Permanência; não é entender a inutilidade de se esforçar pelo
gozo de popularidade, excitação e aparência de situações, quando sua evanescência é comparada com o poder da vontade na prática da honestidade e veracidade.

Vícios, capas de: aqui assim chamados, são desejos perversos e depravados de um agente na vida humana que, em seus estados após a morte, causam sofrimento enquanto o fazedor tenta separar-se deles. Os desejos básicos como um manto de vícios também sofrem,
porque eles não têm meios de indulgência sem um corpo humano. Por isso, muitas vezes procuram a atmosfera de um humano que tem desejos semelhantes e que está disposto ou se torna vítima do desejo de embriaguez ou crime.

Virtude: é poder, força de vontade, na prática de honestidade e veracidade.

Vontade, livre: A vontade é o desejo dominante, do momento, de um período ou da vida. Domina seus desejos opostos e pode dominar os desejos dos outros. O desejo é o poder consciente interno, que pode provocar mudanças em si mesmo ou que altera outras coisas. Nenhum desejo no ser humano é livre, porque está ligado ou se prende aos objetos dos sentidos quando pensa. Um desejo pode controlar ou ser controlado por outro desejo, mas nenhum desejo pode mudar outro desejo ou ser obrigado a mudar a si mesmo. Nenhum outro poder que não seja o seu próprio pode mudá-lo. Um desejo pode ser subjugado, esmagado e subordinado, mas não pode ser modificado a menos que escolha e queira mudar. É livre para escolher se vai ou não mudar a si mesmo. Este poder de escolher se permanecerá ligado a esta ou àquela coisa, ou se abandonará a coisa e será desapegado, é o seu ponto de liberdade, o ponto de liberdade que todo desejo é e tem. Pode estender seu ponto a uma área de liberdade disposta a ser, fazer ou ter, sem se ligar ao que quer ser, fazer ou ter. Quando a vontade pensa sem estar apegada ao que pensa, é livre e tem liberdade. Em liberdade, pode ser ou fazer ou ter o que quer ser, fazer ou ter, desde que permaneça desapegado. O livre arbítrio é ser desapegado, desapegado.

Sabedoria: é o uso correto do conhecimento.

Trabalho: é atividade mental ou corporal, os meios e a maneira pela qual o propósito é realizado.

Mundo Noético: não é um mundo de natureza-matéria; é o reino inteligente ou o conhecimento do Reino da Permanência, uma unidade composta das atmosferas noéticas de todos os Eus Triúnos e das leis que governam a natureza. É o eterno conhecimento imutável concernente a todos os Eus Triúnos e concernente à totalidade do passado, presente e o que foi determinado como futuro dos quatro mundos da esfera terrestre. O conhecimento sempre acumulativo e mutável dos sentidos no mundo humano, experimentando e experimentando, não pode contribuir para o mundo do conhecimento. Estes são como produtos de verão e inverno, que vêm e vão. O mundo do conhecimento
é a soma do conhecimento de todos os Eus Triúnos, e o conhecimento de todos está disponível para cada Eu Triúno.

Errado: é esse pensamento ou ato que é um desvio do que a pessoa está consciente como certa.